Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

They are Boys!! Chá de Meninos!!

Antes de contar sobre o Chá de Bebês dos nossos filhos quero fazer uma pequena introdução. Então, senta que lá vem história: O tempo de espera por nossos garotos durou... Bom, se contarmos as várias tentativas, que aliás, Roberta descreveu muito bem no Piscar de Olhos , acho que durou mais ou menos uma eternidade  uns três anos. E como Einstein sabiamente disse:  " O tempo é relativo e não pode ser medido exatamente do mesmo modo e por toda parte."   Mas, em relação aos tramites legais para conseguirmos a Guarda Provisória, estes duraram aproximadamente sete meses, com a diferença de que quem nasceu prematuro nesta história não foram os filhos e sim os pais.  Foi uma mistura de expectativa, medo de algo não dar certo, ansiedade, felicidade... enfim, uma mochila enorme nas costas. Muita mudança... Mudança no carrinho de supermercado. De repente eu só via leite, fraldas... Mudança de assuntos gerais, para assuntos maternais com os amigos... Mudança na quantida

Escola Suíça- Parte II

Enquanto meu filho mais novo, Jobim, se esbaldava na Garderie eu fui para mais um daqueles dias em que  trabalho como voluntária em uma escola suíça. A escola de meu filho mais velho, Tom. Bom, pra começar, eu ADORO escolas!! Este tema muito me interessa e poder conhecer de perto escolas por este mundão afora é melhor ainda. Mas o que me fez escrever, na verdade, foi sobre a "tal educação suíça" . Regras, muitas regras regem este lugar. E funciona? Bom, não gosto nem um pouco de generalizações, mas pelo o que ouço das amigas que vivem aqui e pela experiência que temos vivido, sim, a coisa funciona! Vamos aos fatos: Quando meu filho tinha quase três meses de frequência nesta escola, fomos chamados para uma reunião com a professora. Marido trabalhando, sobrou para a mamãe engolir o sapo  ir sozinha. O Problema? Primeira pergunta feita pelas professoras a esta mamãe Pandora: _"Vocês possuem regras em casa?" Quase tive um choque!! Sou a Super Nanny   uma m

Crianças que mudam de país...

Fim de tarde, fomos buscar papai no trabalho. Ele estava acompanhado com um amigo brasileiro que estava a trabalho por aqui e então, papai o chamou para comer uma deliciosa Raclette (prato típico suíço com queijo derretido e iguarias) em casa... hummmmmm!!! Engordei só de pensar, mas também deu "água na boca". No carro, Tom e Jobim começam a conversar com ele: _Oi, você vai na nossa casa?  _Sim, quero conhecer a casa de vocês aqui... _ Ahhh, D'accord! A gente peut jouer com nosso château et aussi com le bateau du pirate! _ OK! (SAP: Ok, a gente pode brincar com nosso castelo e também com o barco do pirata!) ... nosso convidado olha pra gente e pergunta: _ Mas o que foi que eles disseram?  (risos) Como apenas falamos português em casa, a tendência é não perdê-lo, mas as confusões acontecem aos montes quando se começa a pensar em outra língua.  Pais expatriados, mudança de país... Nossa, quantas mães por este mundão afora vivem este dilema. Por um l

Mãe de Menino.

Semana passada estávamos na casa de uma amiga que também é mãe de menino e nossos filhos correram para o quarto onde haviam brinquedos (mais que legais) espalhados. De repente chegou mais um pra turminha, mas desta vez era uma menina! Enquanto as mamães estavam sentadas (momento raro) tomando um cafézinho, esta garotinha corria até nós e dizia:  _ "Eles estão brigando!" Então, eu corria até o quarto e ... nada. Estava tudo bem. Passavam dez minutos, lá vinha ela novamente:  _ "Eles estão brigando!" Foi quando a mamãe dela disse: _ "Não reparem não, ela não está acostumada a brincar com meninos e então pra ela, meninos estão sempre brigando".  M O M E N T O     E U R E C A!!!!! Descobri que ainda havia uma Pandora menininha e cor de rosa dentro de mim, pois pensava o mesmo sempre que os via brincando.   Bom, quem tem meninos em casa pode imaginar o que estou dizendo. Até semana passada, sem exageros, eu me sentia como esta garotinha da

O dia em que voltei a Oslo, na Noruega...

Moramos em Oslo, por quase dois anos e meio. Foi uma fase de muitos desafios e muitas alegrias na Terra dos Vikings. Algumas coisas muito especiais desta época ficarão guardadas pra sempre... Por exemplo, foi trabalhando em uma escola internacional que descobri as diferenças entre as culturas e os diferentes estilos de educação dos pais por este mundão afora. Vejam o que descobri... Que nós brasileiros somos os pais mais super protetores da nossa prole; Que para um norueguês não existe tempo ruim, o que existe é roupa inadequada; Que pimentão cru pode ser um delicioso snack para as crianças e o melhor, sem ser indigesto! Que as crianças saem esquiando da maternidade (brincadeirinha), mas começam bem cedo; Que os bebês quando saem da maternidade já são inscritos em uma lista de amigos que nasceram no mesmo dia e por aí seguem se encontrando; Que Sala dos Professores é igual em qualquer lugar do mundo; Que não podemos ficar com muitos beijinhos com nossos alunos, (o que é

Mandalas para acalmar...

Crianças, assim como as mamães também ficam mal humoradas, estressadas e ansiosas. O jeito então é ter em mãos muitas cartas na manga para que possamos alternar as estratégias para utilizarmos com elas e conosco também. Ouvi dizer que a pintura de Mandalas além de acalmar, também melhora a concentração e como adoro desenhar e pintar, resolvi comprar este livro como um dos muitos recursos. Resolvi tentar! Achei super gostoso e realmente acalma a criança e a mamãe também. Na verdade gostei mais que eles... Mas percebi que quando estamos com o lado Pandora estressado fora da caixa é melhor ficar quieta, senão acabamos falando bobagens.  Nestas horas, pego todo o material de bricolagem que disponho e sem que eu precise falar muito, vamos juntos fazendo arte ou qualquer coisa neste sentido. Este livro possui vários modelos de Mandalas para crianças à partir de 06 anos e eu o comprei em Oslo na Noruega, quando morávamos lá, mas já encontrei um outro no Brasil para crianças à partir d

Os dentes de cada um...

Já assistiram um quadro de Luiz Fernando Guimarães no Fantástico que se chamava "O super Sincero"? Então, acho que tenho dois, na versão mini. Imaginem a cena aqui em casa: _ Mamãe, não é verdade que temos que escovar os dentes pra ficar bem branquinhos? _ Isso mesmo! _Ahh, então mamãe, acho que você tem que escovar mais vezes, não é mesmo? Afff, eu podia ter dormido sem essa... Mas não foi para falar da cor dos meu dentes que estou aqui. Isso foi só pra descontrair, já que o assunto abaixo é sério. Hoje quero compartilhar uma conversa que tive com a psicóloga da escola do meu filho, aqui na Suíça e sobre a sensação de o re-descobrir através das lentes dela. Na verdade ela nunca o encontrou. Esta foi apenas uma primeira conversa entre Mãe e Psicóloga, mas que rende muita reflexão para pais, que como nós, optaram por uma adoção tardia, ou melhor dizendo, uma adoção quando as crianças são maiores e já vivenciaram muitas emoções anteriormente. Aqui vai o resumo d

Do outro lado do Oceano...

Últimamente tenho me sentido uma colecionadora de vídeo-laparoscopias. E hoje, estou há um mês para mais uma das muitas que já fiz. Nesta bizarra "coleção" estão hospitais e profissionais da saúde de Minas Gerais (minha Terra amada), São Paulo, Oslo e a próxima em Lausanne, na Suiça. Mas acredite, nada que possa me orgulhar... Com tudo isso tenho me sentido também mais sensível, afinal, tenho um lado Pandora que também sente medo. Eis que então, recorro a um dos recursos mais inteligentes que dispomos: O PENSAMENTO!! E cuidado com ele, heim? Ele pode te levar para onde o está direcionando, tenha certeza disso! Em 1999 descobri que tinha Endometriose. Me lembro de como enfrentava as várias cirurgias e também a dor em saber que talvez isso poderia me impedir de ser mãe biológica. Nestas horas eu sempre olhava pela janela, sempre! Mas na verdade o que via não era a paisagem do lado de fora, eu via algo além disso. Me transportava para mundos distantes, do outro lado do oc

Francês Leônico

Se você está em uma fase de aprendizado de uma nova língua e quiser fazer um teste simples e imediato do nível de conversação em que se encontra, experimente seguir o passo-a-passo abaixo: 1- Leve seu (sua) filho (a) até a escola pessoalmente; 2- Deixe-o (a) brincar e correr pelo pátio livremente; 3- Observe a interação de seu (sua) filho (a) com os colegas da escola, mas fique bem atenta!! 4- Se chegou até esta fase, muito bem, ainda não sabemos seu nível de conversação, mas podemos sentir que é uma mãe zelosa; 5- Caso esteja correndo tudo bem, você pode chegar e ser gentil com os coleguinhas, dizendo "Oi" (em outra língua, claro!), perguntando como estão... 6- Mas caso perceba que seu (sua) filho(a) pode estar sendo alvo de qualquer tipo de abuso ou discriminação, aí pode ter certeza que rapidamente conhecerá seu nível de conversação, pelo menos foi assim comigo. Estava observando meu filho brincar com os coleguinhas quando percebi que alguns chegavam até ele

Minha mãe é uma ... princesa ?

O vínculo afetivo no inicio de uma adoção ainda é pequeno e temos que procurar promover momentos para que ele aconteça, mas requer muito esforço e dedicação por parte dos pais. Como moramos fora do Brasil, todo o processo de adaptação foi feito lá, na casa de nossos pais. E assim permanecemos até que o juiz nos permitisse sair do país. Na primeira semana de convivência ainda tentávamos nos conhecer melhor, é um processo que vai aos poucos se transformando. Eu me lembro que parecia que eu e meu marido estávamos naquela fase de conquista de um novo amor sabe? (que no caso foram dois), você não sabe onde põe a mão, o que fala, o que faz... como age. Então, um dia após o Café da Manhã, quando eu me preparava para trocar de roupa, disse aos meus recém-chegados filhos: -"Mamãe vai deixar vocês aqui na sala brincando um pouquinho, ok? Vou rapidinho lá no quarto tirar o pijama, me trocar... Vou virar uma princesa! Bom, de princesa eu não tinha nada, vamos combinar! Na cabecinha

Fertilização in Vitro e Inseminação Artificial, em Português

Olá Pandoras Virtuais,  Recebi um e-mail de uma pessoa querendo saber o porquê optamos pela Adoção e também sugerindo um post em Português sobre Inseminação Artificial e Fertilização in Vitro, já que o que postei em 2009 está em Inglês. Achei justo!  Então, senta que lá vem história... Bom, pra começar, escrever este texto foi difícil, pois me senti no porão de casa remexendo caixas antigas de arquivos empoeirados. Sério! Não faz tanto tempo assim, mas ultimamente parece que a vida tem tanta informação que sinto como se esta história pertencesse a outro século... e foi, né? Mas isso não vem ao caso.  O fato é que esta história começa no ano de 1999, em Minas Gerais. E como a maioria das pessoas, eu também vivi  muitas situações de extrema alegria, outras que posso encarar de uma forma positiva, outras sinto que são um pouco mais tristes e outras que me orgulharam ou me aborreceram um pouco mais. O importante é saber que todas elas foram necessárias para que eu pudesse am

Aniversário no Parque. Dia Inesquecível

Meu filho mais novo completou quatro anos em agosto. Nesta mesma época o ano passado tínhamos acabado de nos mudar de Oslo( Capital) para Kristiansand, uma cidade ao sul da Noruega. Dá pra imaginar né? Noruega, povo nórdico e brasileiro chegando na área? Sim, leva um tempinho para consolidarmos amizades. O jeito então foi comemorar via Skype com os priminhos no Brasil com um delicioso bolo de chocolate com recheio de Daim (chocolate mega bom com caramelos) e brigadeiros, muitos brigadeiros para a família. Mas, este ano na Suíça foi bem diferente!! Chegamos aqui em fevereiro e fomos muito bem recebidos! Conhecemos pessoas maravilhosas e mães, muitas mães àvidas pelas mesmas respostas às perguntas do dia-a-dia materno. Desta forma, resolvi aproveitar a idéia de outras pessoas lindas e o tempo bom e ensolarado do agosto  europeu para comemorar o aniversário em um parque a céu aberto. O resultado? Muita alegria e beleza no contato direto com a natureza!! E de graça! Vamos

Cinco da Matina

Cinco da matina e eu aqui escrevendo... Ah! Se esta é a única hora do dia em que consigo escrever? Que nada, o nome disso é insônia. Desde que meus filhos chegaram nunca mais tive uma noite inteira de plena sono... :( Sem exageros acho que as mães são muito instinto mesmo, qualquer barulhinho nos deixam em estado de alerta. Agora mesmo só estou acordada pois o maridão está a trabalho na Malásia, eu estou aqui como uma leoa guardando meus dois príncipes em casa e Jobim, o mais novo de quatro anos sempre acorda no meio da noite para fazer xixi no banheiro e daí, batata!! Não durmo mais... Ontem à noite, ri muito contando via Skype pra uma grande amiga no Brasil, a última de Tom. Aliás, a idéia do blog é fantástica para perpetuar estas gafes fofas que as crianças nos presenteiam diariamente. Foi assim... Recentemente meu querido tio Julinho partiu e deixou muitas lembranças em nossos corações. Inclusive, meus filhos adoravam encontrar com ele, que para conquistar os novos sobrinho

Escola Pública Suíça

Decidimos matricular nossos filhos em escolas públicas ou escolas locais (como são chamadas) para realmente nos integrarmos à cultura do país em que vivemos atualmente. Pensamos nisso pois trabalhei em uma escola internacional em Oslo e desta forma convivi com o multi-culturalismo, mas não conheci a verdadeira cultura educacional norueguesa, a qual admiro. O resultado disso tem nos surpreendido e também tomado o tempo integral da mãe. Aqui em Montreux, meu filho mais velho estuda nos seguintes horários: Das 08h35 a.m. às 11h15 a.m. Todas as manhãs. Das 14h10 p.m. até 15h45 p.m. Três tardes por semana. Uma loucura né? Mas o trajeto até a escola é lindo, então acaba compensando a correria. A escola é pública e muito bem organizada em todos os aspectos. Meu filho mais velho, o Tom, apresenta algumas dificuldades de socialização devido ao seu histórico de vida anterior, então  conto com o auxílio direto das professoras e temos trabalhado juntas e incansavelmente para ajudá-lo.