Pular para o conteúdo principal

À Reciprocidade

Na última quarta-feira, dia 07 de dezembro, acordei na mesma rotina de sempre. (lembrando que estamos na Suíça "francesa"...)
06h30 - Acordo e ainda na cama, checo os e-mails, levanto, faço a toilette, coloco a mesa do café da manhã, preparo o lanchinho da escola.
07h30 - Acordo as crianças... Acordo as crianças mais uma vez... Toilette das crianças, trocam de roupa...
08h18 - Toilette de mamãe e filhos novamente...
08h26 - Allez a l'école!!!! Vestimos os casacos, as toucas, luvas, botas, mochilas... Chave do carro. Alguém viu a chave do carro?
OBS. importante!! Enquanto acontece tudo isso, papai já acordou bem cedinho pra pegar o trem para o trabalho.
08h35 - Eles entram na escola. Sim, os horários na Suíça nunca são redondinhos. Existem escolas que começam às 08h28, pois o trem estaciona ao lado às 08h26. Estritamente na risca! Suíço, né?
Então, mamãe pensa: "Hummm, o que farei agora? Assim, tão solta?!"...
Lista de afazeres com e sem prazeres do dia:
- Lavar a roupa de cama do Jobim, pois o xixi escapou naquela noite. Eita xixi fujão ultimamente... Mas eu fui uma daquelas crianças que fizeram xixi na cama por um longo periodo. Até hoje o barulho do plástico embaixo do lençol ressoa na minha cabeça. Minha mãe diz que foi até os seis anos, opa!!!
- Catar TODAS as coisas que marido e filhos espalharam pelo chão da casa no dia anterior. Crianças lá vai, mas o marido consegue deixar dois pares de chinelos espalhados, sendo que tem apenas dois pés. Como consegue??!?
- Checar Facebook (eheheh) Na verdade, o computador fica abertão na sala, com cara de pidoncho, daí eu dou atenção, né?
- E então, eis que eu esperava que o texto "Histórias ao contrário" fosse publicado no MMqD somente na próxima semana ( caracteristica fortíssima da minha pessoa, sou DESATENTA assumida) e então, eu estava lá... Zen... Pensando nas malas pra viagem ao Brasil, dançando... E levo o maior susto ao ver nas minhas atualizações que ele ( o texto ) já estava lá, publicadíssimo no Portal. Naquela dia, além do aspirador, o Wii também estava ligado e eu estava lá, dançando e faxinando querendo muito queimar todas as calorias dos chocolates e queijos suíços consumidos nos últimos meses. E no flerte com o computador eu fico literalmente "bege", coloco a mão na boca e ... Mando um SMS pro marido: "Mor, o texto já foi!!!!" . Bom, ele no trabalho, nem deu bola pra mensagem e eu fiquei lá, "catatônica" com a quantidade de acessos que o blog teve. Vamos dizer... Foi muita emoção e digo o porque:
A Adoção antigamente era um assunto tratado a parte, paralelo à Maternidade em si. Muitas famílias optavam pela omissão da verdadeira história, o que de uma certa forma reforçava o preconceito, a discriminação. Hoje, as coisas estão mudando e entrar no nicho da Maternidade como uma Mãe, sem rótulos, foi e é um grande avanço pra mim.
Outra coisa que fiquei extremamente feliz, foi conseguir mais pessoas que agora se tornaram membros do blog, me apoiando e ajudando outras famílias que sofrem muitas vezes silenciosamente com o fato de não poderem gerar filhos biológicos e que precisam de informações ou de um incentivo, uma luz que seja.
Por isso, quero muito agradecer todas as mamães e papais que me visitaram, que ajudaram a divulgar em redes sociais (foram vários links compartilhados no facebook) e eu já recebi o retorno de muita gente que foi motivada e inspirada pelo post. Existem muitas pessoas que ainda possuem ideias equivocadas sobre adoção e como eu visto a camisa, por amor a causa e aos meus filhos, me sinto na obrigação de mostrar o que é verdadeiro, o que é real.
Obrigada pessoal!! Sinto uma alegria enorme em compartilhar as histórias destes guerreiros mirins, meus co-autores. Eita amor, viu?
Valeu gente!!!
Mas, voltando à rotina daquele dia:
- Pré-parei o almoço. Isso mesmo, pois a aula dos meninos acaba (pasmem) às 11h10, ou seja, tudo o que começo, fica pela metade, inclusive o almoço. Desliguei as panelas, olhei para o computador, me "armei" (casaco, bota, luva...) e lá fui eu!!!
- Cheguei na Garderie, que fica ao lado da escola, dei um agarrão e um beijaço em Jobim, que claro, mais que lindamente olhou pra mim e veio correndo. Treinei o meu francês com os coleguinhas deles,  o orientei a se vestir sozinho, pois aqui criança é mais que independente, corri pra escola de Tom, treinei mais francês e permaneci por lá, no pátio ds escola por mais uns 15 a 20 minutos para que pudessem brincar de pega-pega.
Voltei pra casa e a minha sorte foi que às quartas-feiras eles não tem aula a tarde e pude ficar lá, literalmente na frente do computador, pela primeira vez, um tempão sentada, apreciando os números crescerem e poder também visitar outros blogs que me escreveram ou que deixaram comentários pra lá de carinhosos.
Neste dia, a casa permaneceu uma bagunça, rs. Mas ainda deu tempo de brincar de esconde-esconde com eles e rir muito, principalmente quando fingi que eu era um abajour... Eles amaram!!!
Merci Beaucoup mes chers amis,

PS: desculpem se a formatação ficou ruim, escrevi este devaneio texto, de dentro do avião, e publiquei durante a conexão. Bisous

Comentários

  1. Adorei o "computador pidoncho" :-)
    O meu também é, viu?

    E já tá no Brasil?

    Beijo,
    Karen
    http://multiplicado-por-dois.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Continuo afrimando que quero ser sua agente! Continue escrevendo, dividindo data experiencia e incentivando a gestacao, geste a vida, a adocao, o amor pelo outro, a perseveracao, aescrita ... dei o endereco do blog p uma pessoal que faz um trabalho lindo em Porto Alegre. Depois te escrevo um email. Aproveite o Brasil! Beijos nos meninos.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo blog, adorei seus textos.
    Sua história é linda e muito bem contada por você!
    Beijos
    Izabel

    ResponderExcluir
  4. Que legal Juliana!
    Ainda bem que temos o Minha Mãe que Disse para mostrar blogs gostosos como o teu!

    ResponderExcluir
  5. Lindo texto! E é isso aí! O que define uma mãe é o amor, e só!!

    Beijos nossos

    ResponderExcluir
  6. Oi Juliana!
    Conheci sua história no Minha Mãe que disse!
    Parabéns pela família linda que você conquistou, por toda a sua coragem!
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seja bem-vindo(a)! Sente aqui na varanda que eu vou passar o café!

Postagens mais visitadas deste blog

Filho é filho! Já dizia a sábia raposa...

Não foi à toa que voltei a escrever e antes de voltar no tempo e tentar resgatar as memórias destes quase quatro anos de pausa, vou compartilhando as novidades “fresquinhas”.  Dias atrás, “Tom”, 10a, chegou em casa com um livro da escola. Aliás, coisa que adoro por estas bandas dos alpes gelados é que a leitura diária é levada muito a sério. E eles tem que ler em voz alta para alguém, que neste caso, sou euzinha. Cada um na sua vez, diariamente e eu virei uma “ouvidora” de histórias. Então, “taveu” fazendo catando algum chinelo, lápis, coco da cachorra algo que não me lembro bem agora e lá vem Tom, pra fazer a leitura deste livro:    O livro era daqueles antigões, com a capa dura e um cheirinho peculiar de naftalina (Oi?). Mas era da biblioteca da escola e estava bem conservado e encapadinho. Ainda perguntei a ele: “ Quem escolheu este livro filho? ” e ele… “ eu mãe, achei a capa bonitinha” .  O livro não tinha propriamente uma capa com apelo interessante para a le

Série co-autores, conte sua história no blog! Hoje, a conquista do parto natural e quem nos conta é a Karime.

Hoje a série co-autores do Contos , renasce, literalmente.  Além de trazer um lindo relato de parto, dia 20 de janeiro de 2013 , é o dia em que a personagem principal desta história real, a Lara, completa 1 aninho.   P a r a b é n s L a r a !!  Voilà, o conto: Bom dia Mamães! Hoje, dia 20, minha filhota completa 1 ano :) E para comemorar e começar o dia com toda boa energia e em alto astral compartilho com vocês como foi o parto dela... FOI ASSIM:  Pessoas queridas do meu coração, estou aqui, menos de dois anos depois do relato do nascimento do Luca para escrever sobre o parto da Lara! Uma experiência tão marcante e intensa que é preciso respirar fundo várias vezes para tentar traduzir tamanha emoção em palavras... Como sabem, sonhava vivenciar o parto natural e por se tratar de uma tentativa depois de uma recente cesariana tudo já era naturalmente diferente... opiniões daqui, estatísticas dali, pesquisas de lá, ‘achismos’ acolá ... e o meu desejo acima de tudo! Sorte, mu

Aniversário Solidário

"Você é a mudança que deseja ver no mundo"  Mahatma Gandhi  EMPATIA Segundo a definição que encontramos aqui ,   Empatia   significa a   capacidade psicológica  para sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. Consiste em   tentar compreender sentimentos e emoções , procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo.  A empatia leva as pessoas a ajudarem umas às outras. Está intimamente ligada ao altruísmo - amor e interesse pelo próximo - e à capacidade de ajudar. Quando um indivíduo consegue sentir a dor ou o sofrimento do outro ao se colocar no seu lugar, desperta a vontade de ajudar e de agir seguindo princípios morais. Assim surgiu a ideia de este ano, pela segunda vez nestes meus ... vinte e poucos quarenta e dois  anos, reunir várias amigas (mais de quarenta) que também moram aqui na Suíça para uma confraternização do meu aniversário (3 /3 anota ai), no Dia Internacional da Mulhe