Pular para o conteúdo principal

Teste da violência obstétrica-Dia Internacional da Mulher- Blogagem Coletiva

O Dia Internacional da Mulher não deve ser apenas associado a flores e corações. Claro que merecemos um agrado e gentileza das pessoas, mas somos guerreiras, tivemos e temos que batalhar muito por nosso espaço, por condições igualitárias de trabalho e salário e conseguimos conciliar TUDO juntoaomesmotempo o que não é tarefa para qualquer um.

Hoje, na Blogagem Coletiva do Dia Internacional da Mulher, tem mais uma destas batalhas... A iniciativa partiu de alguns blogs (citados no banner abaixo) e o resultado pode ser de extrema relevância para uma melhoria neste aspecto. Você, mulher, mãe, que puder ajudar na pesquisa, participe do teste.


Para fazer o teste, clique aqui. Conto com sua participação!!

Comentários

  1. Ju já respondi o questionário, também queria participar dessa blogagem como faço?
    Aconteceram coisas que me deixou muito triste no meu parto, até cobranças que são ilegais, o pior é que não fizemos nada a respeito, pagamos um absurdo em um hospital particular e meu marido nem pode assistir o nascimento da filha, sem falar no descaso de algumas enfermeiras...

    ResponderExcluir
  2. Oi Aline, tem a explicação no MMqD, mas você pode pegar o link aqui e o banner também e bloggar. Beijo e obrigada pela participação.
    Que coisa sua história né? Seria legal escrever sobre isto também. Já te visito pra ver como ficou. Bj

    ResponderExcluir
  3. é isso aí Jú..."tâmo junto" nessa empreitada...

    bjus

    ResponderExcluir
  4. Ju, sinto por todas as mulheres que passaram por isso... eu, ao contrario, estava num pais que nao eta o meu... sozinha ( apenas com o maridao, pois a lena veio 3 semanas antes) desesperada pois so tinha ido a maternidade fazer uma checagem... e posso dizer que fui absurdamente bem tratada!
    pelas enfermeiras, pelo medico.. tanto no pre, durante e pos... ate um enfermeiro portugues arrumaram para ficar ao meu lado, uma vez que pelo nervosismo eu nao entendia mais nem frances nem ingles... enfim... posso contar que foi uma historia com comeco, meio e final feliz... :)
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Não deu tempo de participar da blogagem coletiva, mas eu respondi ao questionário. No meu parto quase acontece uma tragédia por conta de um procedimento desnecessário, fiquei mal por muito tempo com isso martelando na minha cabeça e até hj qdo me lembro do ocorrido eu choro... A parte boa é que no fim deu tudo certo e Brunão tá aí, todo serelepe e esbanjando saúde :D Se quiser ler o relato está aqui http://filhodamaeedopaitbm.blogspot.com/2011/10/o-parto-retrospectiva-parte-v.html Bjos :*

    ResponderExcluir
  6. Mais um comentário para comemorar que consegui postar o anterior :D Acho que meu computador desenlouqueceu!!

    Vc conseguiu ajuda com um programador? No e-mail eu te disse que não conhecia nenhum mas depois me lembrei que meu cunhado é programador, mas ele tem uma empresa que trabalha em outra área, não presta assistência p/ blogs. Exceto para o meu, porém mediante chantagem, já que eu o convidei para ser padrinho do Bruno, e se ele não me ajudar eu disse que o desconvidarei. Risada maléfica agora: huahuahuahuahuahua...

    Bjos :*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seja bem-vindo(a)! Sente aqui na varanda que eu vou passar o café!

Postagens mais visitadas deste blog

Filho é filho! Já dizia a sábia raposa...

Não foi à toa que voltei a escrever e antes de voltar no tempo e tentar resgatar as memórias destes quase quatro anos de pausa, vou compartilhando as novidades “fresquinhas”.  Dias atrás, “Tom”, 10a, chegou em casa com um livro da escola. Aliás, coisa que adoro por estas bandas dos alpes gelados é que a leitura diária é levada muito a sério. E eles tem que ler em voz alta para alguém, que neste caso, sou euzinha. Cada um na sua vez, diariamente e eu virei uma “ouvidora” de histórias. Então, “taveu” fazendo catando algum chinelo, lápis, coco da cachorra algo que não me lembro bem agora e lá vem Tom, pra fazer a leitura deste livro:    O livro era daqueles antigões, com a capa dura e um cheirinho peculiar de naftalina (Oi?). Mas era da biblioteca da escola e estava bem conservado e encapadinho. Ainda perguntei a ele: “ Quem escolheu este livro filho? ” e ele… “ eu mãe, achei a capa bonitinha” .  O livro não tinha propriamente uma capa com apelo interessante para a le

Série co-autores, conte sua história no blog! Hoje, a conquista do parto natural e quem nos conta é a Karime.

Hoje a série co-autores do Contos , renasce, literalmente.  Além de trazer um lindo relato de parto, dia 20 de janeiro de 2013 , é o dia em que a personagem principal desta história real, a Lara, completa 1 aninho.   P a r a b é n s L a r a !!  Voilà, o conto: Bom dia Mamães! Hoje, dia 20, minha filhota completa 1 ano :) E para comemorar e começar o dia com toda boa energia e em alto astral compartilho com vocês como foi o parto dela... FOI ASSIM:  Pessoas queridas do meu coração, estou aqui, menos de dois anos depois do relato do nascimento do Luca para escrever sobre o parto da Lara! Uma experiência tão marcante e intensa que é preciso respirar fundo várias vezes para tentar traduzir tamanha emoção em palavras... Como sabem, sonhava vivenciar o parto natural e por se tratar de uma tentativa depois de uma recente cesariana tudo já era naturalmente diferente... opiniões daqui, estatísticas dali, pesquisas de lá, ‘achismos’ acolá ... e o meu desejo acima de tudo! Sorte, mu

Aniversário Solidário

"Você é a mudança que deseja ver no mundo"  Mahatma Gandhi  EMPATIA Segundo a definição que encontramos aqui ,   Empatia   significa a   capacidade psicológica  para sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. Consiste em   tentar compreender sentimentos e emoções , procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo.  A empatia leva as pessoas a ajudarem umas às outras. Está intimamente ligada ao altruísmo - amor e interesse pelo próximo - e à capacidade de ajudar. Quando um indivíduo consegue sentir a dor ou o sofrimento do outro ao se colocar no seu lugar, desperta a vontade de ajudar e de agir seguindo princípios morais. Assim surgiu a ideia de este ano, pela segunda vez nestes meus ... vinte e poucos quarenta e dois  anos, reunir várias amigas (mais de quarenta) que também moram aqui na Suíça para uma confraternização do meu aniversário (3 /3 anota ai), no Dia Internacional da Mulhe