Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

Feelings de uma viagem ao desconhecido - Parte 2

Bom, como eu disse no post anterior , superar o medo de uma viagem de navio com os filhos e principalmente deixa-los brincando no clubinho, enquanto eu e o maridão saíamos para passear, foi um passo surreal. Claro que não era o dia todo, eles ficavam no máximo umas quatro horas, mas para mim, era uma eternidade. E pensa no paradoxo: Meus filhos sobreviveram de dois a quatro anos sem minha superproteção, então, de onde vem este medo todo minha gente? Piegas, ok, mas vem do AMOR. Meus filhos são tudo na minha vida e estou adorando construir com a ajuda deles, a mãe que tenho tentado ser. É AMOR demais!! Alors, Grécia... Vamos lá, marque a opção que lhe convir: Quando você pensa em Grécia, você lembra de... Feta Cheese (  ) Mar azul e casinhas brancas no morro, com muitas flores (  ) Pessoas alegres, dançando e quebrando pratos (  ) Jegue (  ) Cenário do filme: Mama Mia (  ) Azeite, azeitona (  ) Atenas, Mikonos, Santorin (  ) Partenon (  ) Crise financeira atual (  ) Fil

Feelings de uma viagem ao desconhecido - Parte I

Tudo começou assim... sempre adorei viajar, explorar, conhecer culturas e quando solteira costumava ir com a turma de amigas para Cabo Frio, Búzios e também acampar (ói) em Ilha Grande e para chegar até lá, era comum chamar o "Hugo" em cada traineira que atravessava o mar. Então, cruzeiro além de ser diferente daquilo que eu considerava o máximo, eu morria de medo de passar os dias gritando o "Hugo" sem parar... Enfim, a vida mudou, os cabelos mudaram e  partir para um cruzeiro de navio no mar mediterrâneo com os filhos após um  acidente  envolvendo uma grande companhia marítima este ano, foi um desafio enorme. Ah!  e detalhe, embarcaríamos na semana em que o Titanic completaria 100 anos de naufrágio. Imaginou? A mídia falava o tempo e eu claro, fiquei super receosa e por várias vezes quis desistir, mas ainda bem que tem alguém sensato nesta família, e o maridão não concordou com minhas neuroses.  Fomos!!! E o resultado? Uma viagem incrível, repleta de desco

Debate sobre Maternidade (adotiva) - Programa Sem Censura

O programa Sem Censura da TV Brasil reuniu no da 29 de fevereiro deste ano, um grupo seleto de pessoas gabaritadas para falar de um assunto muito importante: A Adoção no Brasil. Eu recebi o link por uma amiga e recomendo! As convidadas para o debate foram: A juíza da Vara da Infância e Juventude do Rio de Janeiro, Dra.  Ivone Ferreira Caetano, que  explicou as principais burocracias para se adotar uma criança e o motivo de tanta morosidade nos processos.  A psicóloga  Cristina Werner   falou sobre sua experiência na psicologia e sobre os casos de abandono de crianças e suas consequências. "Associação quintal da casa de Ana"  foi um dos assuntos da presidente da ANGAAD ,   Bárbara Toledo , que aliás, me pareceu honrar a posição que ocupa.  A cantora gospel  Flordelis  contou sobre seu livro e sua experiência sobre a adoção de 50 crianças. E na "hora do recreio", a turma contou com a cantora   Leny Andrade  lançando o CD "Alma Mía". M

As NOVE férias da Suíça!! Heim?!

Voilà mes amis, Dentre as nove férias escolares, estamos nas Férias de Páscoa ou Férias de Primavera. Então, nos próximos dez dias, estarei off e espero fortemente voltar com novidades maravilhosas sobre nossa viagem. E para fortalecer nosso vínculo afetivo t amujuntosempre,  deixo algumas sugestões de alguns contos, pra lá de reais, desta intrépida trupe, confira: Eu sou mãe adotiva e tento experiementar tudo o que tenho direito, como em uma maternidade biológica. Então, mesmo na adoção tardia, eu me dei ao direito de ter um Chá de Bebês , ehhhh!!! Móoo legal!!! O Portão , na minha opinião, é o conto mais profundo. Mais uma vez, "Tom" se superou na análise. Confira, vale a pena! Eu AMO e adoro preparar a festa, então, quando meu filho "Jobim" completou quatro anos, fizemos uma festa em um parque verde e aberto. Além de mais barato, uma delícia!!! Veja o passo a passo .  E pra rir um pouco, pois ninguém é de ferro, aqui vai um post só pa

BC: Infância Livre de Consumismo -Editado

Achei muito pertinente o tema da blogagem coletiva de hoje e há dois anos tenho pensado muito sobre isto, afinal, quando meus filhos "nasceram" em minha vida, o consumismo e a publicidade infantil já faziam parte da pequena experiência de vida que tiveram anteriormente. Queria também fazer um paralelo com a legislação suíça a respeito do tema, mas como o tempo para a pesquisa está escasso (as crianças estão em Férias de Páscoa), tentarei explicar brevemente o que observo diariamente neste país. No início da adoção, T. tinha quatro anos e J. estava com quase três. Eu e meu marido já morávamos havia dois anos em Oslo, na Noruega e como eu trabalhava em uma escola por lá, pude aprender muito, principalmente no que se refere ao respeito à infância. Pois então, quando parti para o Brasil, sai da Noruega com uma mentalidade "nórdica" e como me tornei mãe de dois garotos e não de dois bebês, eu já tinha uma grande preocupação com a questão da educação deles.  Me tor

A importância da rotina na hora de dormir.

Se tem uma coisa que os amigos estranham  admiram quando vem aqui em casa, é a forma como T. e J. vão para a cama e dormem. E nós, já acostumados com a rotina, achamos a coisa mais normal do mundo o fato de que os dois, vão pra cama cedo e deitam sem estresse e/ou briga na "dura" hora de deixar de brincar e ir dormir. E como na semana passada conversamos sobre isto com três amigos diferentes, percebemos que na verdade, foi o acaso que nos ajudou a ter a tal disciplina do sono. Foi assim... Assim que assinamos a sentença do juiz, nos delegando o direito a guarda provisória (Pausa: Imaginem a FELICIDADE que sentimos ao assinar este papel!!!!), fomos novamente ao encontro de nossos filhos. No momento, eles estavam na escola e de lá, seguimos viagem para a casa de minha mãe (em outra cidade), onde moraríamos durante todo o período de adaptação. O que e quem nos ajudou neste dia? Bom, o fato de sairmos com duas crianças, uma de quatro anos e outra de quase três, assim,

As coisas boas da Suíça....

Ai, ai... a Suíça em termos geográficos e no quesito beleza, é realmente um país muito privilegiado. Além da ótima localização, estamos rodeados por países belíssimos e tudo é bem pertinho. Por exemplo, (cóf, cóf) faço as compras pesadas de supermercado ali, na França... além de ser um passeio super gostoso, é mais barato que aqui. Roupinhas e cacarecos passamos a comprar na Alemanha, também é mais barato e claro, aproveitamos para comer os deliciosos pratos típicos de lá e matamos a sede... Oi?!? Alemanha, né? É verdade, a Suíça é um país caro pra caramba , posso dizer que é tão caro quanto Oslo, na Noruega, onde morávamos, mas com um pequeno detalhe muito bom. Aqui, conseguimos sair para comer fora e lá... isso era impossível. Em fevereiro deste ano, completamos um ano aqui, no Cantão de Vaud, parte da Suíça onde a língua é o francês, pois a Suíça possui quatro idiomas oficiais: O alemão,  o francês, o italiano e o romanche. Imaginem um país pequeno, onde existem quatro línguas d

Série Co-autores!! Hoje a contribuição é da psicóloga Marcella Benoliel Zaninetti

Ju querida, É com muito prazer e honra que participo desse projeto que você chamou de co-autores para dividir um pouquinho demim da minha experiência com o tema: Adoção!! Sou psicóloga e trabalho em Lares (casas ou instituições que abrigam crianças) há 8 anos, divididos em estágios voluntários e trabalho profissional! Amo o que eu faço e trabalho nesse contexto por opção e por um sentimento que pega a todos ouquasetodos que entram nesse mundo: a impossibilidade de ficar longe desse lugar! Não me imagino não podendo ser útil e aplicando o que sei para auxiliar essas pequenas crianças que estão passando por um dos períodos mais marcantes de suas vidas. Ao mesmo tempo que auxilio elas nesse momento de INCERTEZAS, elas me ensinam muito à respeito da vida e o valor das pequenas coisas, mal sabem elas quantas CERTEZAS elas me oferecem por estarem dividindo comigo suas histórias. É impossível não deixar de ser tocada por cada uma delas, com suas únicas e tristes experiência

E a vida... vrommm, tá corrida!!

Queridos(as) amigos(as) virtuais... de verdade, a gente se apega aos textos "dazamiga" e me pego várias vezes pensando nelas, gente que leio e nunca encontrei pessoalmente, mas que me fazem sentir  saudades... Talvez isso seja algo novo da nossa geração e confesso que me tornar blogueira foi um passo muito importante em minha vida. Aprendo muito e reflito o tempo todo... Fico gargalhando e chorando aqui, (eu e meu amigo computador) e trocar figurinhas com esta turma é muito bom!! Acontece que com o crescimento dos meninos, a vida também tem tomado novos rumos e agora, a agenda desta turminha do barulho está ENORME. Além das aulas de esportes (vários), agora eles iniciarão aulas de música. Ah! Entre estas e outras aulas extra-escolares, tem também a psicóloga uma vez por semana em Lausanne... E a mamãe aqui? Oras, a mamãe teve que "se virar nos trinta" e retirar o Inglês da jogada... Claro que o continuo usando deveras com alguns amigos, mas, agora os amiguinh