segunda-feira, 9 de abril de 2012

As coisas boas da Suíça....

Ai, ai... a Suíça em termos geográficos e no quesito beleza, é realmente um país muito privilegiado. Além da ótima localização, estamos rodeados por países belíssimos e tudo é bem pertinho. Por exemplo, (cóf, cóf) faço as compras pesadas de supermercado ali, na França... além de ser um passeio super gostoso, é mais barato que aqui. Roupinhas e cacarecos passamos a comprar na Alemanha, também é mais barato e claro, aproveitamos para comer os deliciosos pratos típicos de lá e matamos a sede... Oi?!? Alemanha, né?

É verdade, a Suíça é um país caro pra caramba, posso dizer que é tão caro quanto Oslo, na Noruega, onde morávamos, mas com um pequeno detalhe muito bom. Aqui, conseguimos sair para comer fora e lá... isso era impossível.

Em fevereiro deste ano, completamos um ano aqui, no Cantão de Vaud, parte da Suíça onde a língua é o francês, pois a Suíça possui quatro idiomas oficiais: O alemão,  o francês, o italiano e o romanche. Imaginem um país pequeno, onde existem quatro línguas diferentes?!

E pra quem acompanha meus devaneios o blog, já deve ter percebido que passo meus perrengues por aqui, mas apesar de todos os percalços, tenho que admitir: uma vez que um (uma) suíço(a) confiar em você, esquece tudo. Eles serão suuuuuper gentis, te tratarão a pão de ló, e farão de tudo um pouco para te ajudar em alguma coisa, mas não se empolgue, hã? Demora pra relação de confiança acontecer.... demora.... são muitos bonjours jogados ao léu, sorrisos devolvidos com calda de gelo alpinos de gelar mesmo. Mas, sou mineirinha, tenho blogpradesabafar paciência e aguardo o bonjour voltar e o sorriso ser engolido e bem digerido.

Então, após um árduo ano, com direito até a ter "nó nas tripas", enfim, estamos em lua de mel com o país.  Os suíços mais próximos agora nos chamam para conversar, pra jantar, pra tomar um chá... A escola deu uma trégua e eu e as crianças temos falado mais francês que antes e isto ajuda horrores na inserção na cultura. Será que foi isto? Hummm, pode ser.

Daí, que semana passada, deixei Tom na escola e expliquei que impreterivelmente naquela tarde, Jobim não iria à Gym du Soir (ginástica após a aula) e que ele (Tom), iria sozinho para lá. Calma!!! O ginásio fica em um prédio bem na frente da escola, lá no topo da montanha encantada, local tranquilo, pacato...

E assim, fomos, eu e Jobim a uma festa de aniversário. Tempo vai e tempo vem, eis que chega o momento que tenho que voltar a apertar o "mode on" e correr, ou melhor, subir a montanha encantada para pegar Tom, que sairia às 17h15 da aula.

Sigam meu desespero, ao notar que:

  1. Eu deixei a festa às 17hs!!! Sério, eu confesso, eu fiz isso!!! LOUCA!!!
  2. Minha cabeça martelava: Tom sai às 17h15; Sai Super Ego maldito, eu já estou indo...
  3. E antes do desespero, eu e Jobim, estávamos na festa comendo muito brigadeiro e bolinho de queijo (jura que tem alguém aqui na Suíça que faz coxinha de frango, bolo, bolinho de queijo...);
  4. Olhei no relógio e eram 17hs. A louca estava na beira do lago, véspera de feriado, querendo subir o morro em 15 minutos?!?! Juro, eu tinha bebido só refrigerante. 
  5. Começamos a saga dentro do carro: Eu, Eu mesma, Freud e Jobim. 
  6. Primeiro, na minha cabeça só vinha a imagem dele me esperando sozinho, do lado de fora da escola. E toda vez que eu olhava no relógio percebia que seria impossível chegar a tempo e então, pensava, ok, sem pânico. Afinal, para que servem os amigos? Sou serena, "feiticeira" e vou chegar lá!! Ops, sinal de ideia na cabeça!!! Liguei para Sophie, mãe inglesa de um amiguinho que também faz Gym du Soir e ela poderia falar pra ele que eu me atrasaria... 
  7. Primeira tentativa frustrada: Justamente naquele dia, ela não estava lá. Ok! O pânico já estava incontrolável e eu quase peguei o trânsito de Marginal Tietê  o trânsito da Auto-route.... uffa, consegui desviar. 
  8. Olho no relógio: 17h21. Meu Deus!!! Ele já deveria estar lá fora e o Super Ego já não falava mais, ele gritava e eu, só pensava no meu filho sozinho na porta da escola... Freud maldito!!(com todo o respeito).
  9. Perigo a vista: Eu dirigia, olhava no relógio, no celular e ainda discutia psicologia com Freud, que naquele momento estava no banco do passageiro me medindo de cima a baixo. Peguei a agenda do celular e vejo um nome lindo e doce: Marion. Isso!!! A filha dela está lá também e eu poderia pedir a ela para avisar Gabriel que eu atrasaria.... PAUSA!! PÁRA TUDO GENTE!! Mãe desesperada fica cega, surda e muda. A cena do filho na porta da escola sozinho me despirocou e eu esqueci de um detalhe chulo e essencial: Eu ainda (vamos grifar para enfatizar isso) não falo francês pelos cotovelos e páh!!! A linda Marion atendeu:
A conversa foi mais ou menos assim: (em francês, hã)

_Oi Marion, aqui é a mãe do Gabriel. 
_Oi, tudo bem? 
_Marion, você está na Gym du Soir? (diz que sim, diz que sim)
_Não, hoje eu não fui, pois a mãe de ... foi e vai trazer a ... pra mim. E você, está? 
_ Não, eu não estou. E...( E foi aqui que a conversa degringolou, pois eu fiquei mais nervosa ainda... Eu olhava o trânsito, pensava no filho sozinho na porta da escola, e ainda por cima tinha que lembrar do fundo da alma como diria a palavra "atrasada" em francês. Cadê gente, quem disse que vinha a tal?! Tentei falar o contrário, tipo, eu não vou chegar, mas daí a coisa ficava pior. A mulher destampou a deduzir um monte de coisa e eu só queria desligar o telefone e ligar pra outra pessoa. CAOS, coitada... deve ter pensado: "esta mulher é meio estranha"...)

Bom!! Consegui fazer um caminho pelas montanhas e cheguei 30 minutos atrasada (em português e em francês). Quase morri de remorso, medo, culpa, mas, cheguei. E a surpresa foi poder contar com a ajuda de uma suíça, "Ói", tá vendo?? Uma suíça, S- U- Í- Ç- A!!! 

Quando cheguei, mal estacionei o carro e já fui agradecendo e enchendo meu filho de beijo. E ela, uma fofa, ficou lá com ele até eu chegar. 

E pra fechar a conversa de quintal, umas fotos do dia-a-dia na bela e surpreendente Suíça:














Bisous, da Pandora que devaneia e imagina que Freud bate o móo papo com ela...
Ah!! As Fotos foram retiradas da web... ;-), mas a última é minha, da minha janela... 

10 comentários:

  1. Que nervoso, Juuuu!!!

    hahahahaaha eu me vi lá com vc e o Freud, xingando ele por esse super ego que as mães têm! E ele grita com a gente mesmo, eu te entendo!!!

    Ainda bem que a suíça gracinha ficou com ele e vc não teve culpa para remoer depois, em casa, com Freud.

    Beijos, querida, linda a sua Suíça, linda mesmo!!!

    ResponderExcluir
  2. Ai Ju, q perrengue. Um dia eu me atrasei p/ buscar o Bruno na escolinha pq deu problema no alarme do carro, fui chorando :'( cheguei lá desesperada mas no fim deu td certo, só a paisagem não era tão linda qto a sua :D Bjos :*

    Pati http://www.filhodamaeedopaitbm.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Fia, fiquei sem ar! Assim vc me mata! Imaginei Gabriel chorando na porta da gym, você riscando o carro enquanto estacionava, Freud tendo um ataque epilético... Céus! Guenta coração!

    Que bom que tudo deu certo. E se eu pudesse fizer algo sobre sua foto com essa falta de ar que me deu, seria: "Fiu-fiu!" Que lugar lindo Ju!

    beijo

    ResponderExcluir
  4. Coisas de mãe!!!
    Ainda bem que você encontrou uma alma boa ai na Suíça. E no fim tudo deu certo! Mãe sofre antecipado!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Ju,
    Também fiquei com falta de ar... Que correria danada, hein!? Nessas horas dá um aperto no coração e ficamos pensando mil coisas.
    Ainda bem que deu tudo certo. Que boa essa relação que tem construído com as pessoas. Realmente se expressar, falar o idioma faz a diferença.
    Agora, que lugar maravilhoso é esse... Que paisagem, que vista bela. Um lugar para ser aproveitado mesmo! Amo essas montanhas.
    Agora da próxima vez que vier para a Alemanha precisamos nos ver... Poxa vizinha...rs rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ju,
    está super convidada para participar... É simples! Falarei com a Nivea e a Ingrid que coordenam isso. Você está no facebook. Me procura lá... Celi Cristina Oberding. Aí tudo fica mais fácil....Beijos

    ResponderExcluir
  7. Menina, que situação, hein??
    Mas que bom que deu tudo certo. A linguagem universal da maternidade falou mais alto, né?
    E o filhote, como reagiu com o atraso?

    Beijo e ah, a Suíça!! Linda demais, né? E vem fazer compras aqui no norte da Alemanha que você vai gostar rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  8. Ju,
    e Freud sentado no carro te analisando, que deselegante! (já diria sandra annemberg http://youtu.be/cIR42zGmhSc?t=37s)

    ResponderExcluir
  9. Obrigada meninas e De. eu ainda não conhecia " Que deselegante" rsrsrs. Beijão, Ju

    ResponderExcluir
  10. Ju, lendo posts mais antigos e morrendo de rir com esse daqui... Me identifiquei tanto.
    Menina, já passei tanto perrengue aí na Suíça por causa de horário. Imagina explicar para brasileiro que o trem das 11:15 não é o mesmo do das 11:16?
    E imagina explicar pra suíço que é normal, quando se marca um compromisso às 3h, que as pessoas cheguem com, no mínimo, 15 minutos de atraso (quando são pontuais).
    Ah, as diferenças culturais...
    Beijos

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo(a)! Sente aqui na varanda que eu vou passar o café!