quarta-feira, 25 de abril de 2012

Feelings de uma viagem ao desconhecido - Parte I


Tudo começou assim... sempre adorei viajar, explorar, conhecer culturas e quando solteira costumava ir com a turma de amigas para Cabo Frio, Búzios e também acampar (ói) em Ilha Grande e para chegar até lá, era comum chamar o "Hugo" em cada traineira que atravessava o mar. Então, cruzeiro além de ser diferente daquilo que eu considerava o máximo, eu morria de medo de passar os dias gritando o "Hugo" sem parar...

Enfim, a vida mudou, os cabelos mudaram e partir para um cruzeiro de navio no mar mediterrâneo com os filhos após um acidente envolvendo uma grande companhia marítima este ano, foi um desafio enorme. Ah! e detalhe, embarcaríamos na semana em que o Titanic completaria 100 anos de naufrágio. Imaginou? A mídia falava o tempo e eu claro, fiquei super receosa e por várias vezes quis desistir, mas ainda bem que tem alguém sensato nesta família, e o maridão não concordou com minhas neuroses. 
Fomos!!!
E o resultado? Uma viagem incrível, repleta de descobertas internas e eu realmente pude relaxar e descansar como há tempos não conseguia. Quer saber um pouquinho? Pensei em dividir este post em várias partes, assim,  eu consigo compartilhar com vocês aspectos práticos, que claro, toda mãe gosta de saber e também como evitar alguns probleminhas e gafes que surgem em viagens como esta. E ai? Vem comigo? 
Os destinos dos devaneios serão:

  • Bari, Itália
  • Katakolon, Grécia
  • Ismir e Istanbul, Turquia
  • Dubrovnik, Croácia. 
  • O Navio, by itself. 


O INICIO DE TUDO
Bom, como eu disse anteriormente, minha ideia de Cruzeiro era muito preconceituosa, admito. Mas quando vi as fotos de uma amiga que havia ido com os filhos, fiquei encantada. Então, um belo dia quando eu estava recém operada, esta mesma amiga me ligou informando sobre uma promoção imperdível para crianças e nós, decidimos encarar o desafio.

Item principal na bagagem: Remedinhos para enjoos marítimos e esperança!!!

Primeira parada: BARI, ITALIA 

Nosso primeiro grande plano era alugarmos bicicletas para os quatro e passear por Bari, mas vimos as fotos de uma excursão que partiria do porto até Alberobello (há uma hora dali) e ficamos encantados.
Primeiro erro: Deixamos de comprar a excursão dentro do navio para tentarmos uma opção mais barata do lado de fora. Conclusão: Não haviam mais lugares na excursão e o que nos sobrou foi pegarmos um taxi... ok, ok, o lugar é lindo, medieval, mas desembolsamos 160 Euros para o taxista, ou seja, gastamos muito mais que o preço da excursão... toim, oim, oim.... vivendo e aprendendo. Outra detalhe aqui: Dentro do navio, eles possuem um mini club para crianças, com monitores super animados. A princípio, não pensei em deixa-los lá, mas pensando em colocar duas crianças de quatro e cinco anos para viajar dentro de um carro por duas horas (ida e volta), para ver casinhas medievais (lindas, hã), a ficar com um grupo de crianças, fazendo atividades diversas, jogando bola na quadra do navio, pintando camisetas com tintas, comendo e se divertindo muito com o saquinho de maionese na batatinha frita... gente, só uma semana de férias de mãe falando o tempo todo na orelha e poder se divertir... fala sério, né? 

Ok! Aqui merece uma pausa.

Eu acredito que construimos relações o tempo todo. Fazemos isto no nosso casamento, no nosso trabalho, com nossos amigos e assim também, nos construimos maternalmente. A ideia é, nenhuma mãe nasce pronta, ela se constrói a cada dia, a cada novo desafio e a cada conquista e é isso que movimenta e dá sentido ao nosso amadurecimento como um todo. Eu, há dois anos, quando me tornei mãe, não gostei do que encontrei em mim. Eu me vi muito neurótica, com medo de tudo e admitir isso, não me faz menos mãe, me faz ter um sentimento de mãe real, de carne e osso e não de querer ser um ideal de mãe, no sentido idealista mesmo.
Esta viagem, ou melhor, o Cruzeiro não foi apenas mais uma viagem, ela conseguiu se tornar em uma re-descoberta de mim mesma, uma libertação de alguns fantasmas internos que eu não me orgulhava em tê-los. Deixar meus filhos assim, com outras pessoas? Fora de minhas "asas"? Sim, era algo muito difícil pra mim, mesmo que por apenas algumas horinhas... Medo de tudo, que vai desde um engasgo até um mergulho no mar, ai, nem queiram saber o que passa nesta minha cabecinha "Glória Peres"...
Mas eu consegui! Fui mais forte que o medo e deixamos os meninos no tal clubinho por apenas três horas para que pudéssemos conhecer a vila Alberobello e quando voltamos, os imaginei chorando muito, pedindo a mamãe e também imaginei Tom pendurado no lustre, arriscando seu corpinho lindo a ficar engessado... uiii, sai delinquente imaginação, este corpo não te pertence mais!!
Voilà, quando chegamos, qual foi minha surpresa? Hã, hã?
Jobim, sorridente, nos pedia para ficar mais (pode?) e Tom chegou para nos abraçar todo "pirulão", trazendo um desenho lindo de um polvo que vive no mar... sim, foi uma das histórias que contaram pra eles...
Percebe a dimensão do que tenho tentado falar? Apesar de eu querer muito isso, os filhos não são nosso corpo em extensão, eles são eles. E é justo querer concorrer com o tal clubinho? Ok meus filhos, a mamãe vai tentar entender... mas que eu senti uma saudade doida no peito, ah, isto eu senti. Nossa, mas foi legal perceber o quanto estão seguros.

Fim da pausa.

Aqui estão algumas fotos desta bela vila, chamada Alberobello, na Itália, região de Puglia:








Em meio a tantos "artesanatos" made in China, encontramos esta lojinha, linda, com tudo realmente feito a mão. 

E com tantas coisas lindas, bati o olho neste galinho e me encantei. Ao embrulha-lo, a proprietária da loja me perguntou: _Você sabe o significado neste galo aqui em Puglia?
Eu disse:
_Não, qual é?
_Fertilidade!!
Então, queridas amigas tentantes: Aqui vai meu amuleto para vocês!! Boa sorte à todas!!!


E para encerrar, o desenho, que segundo Gabriel, era de um polvo. Ele o fez enquanto estava no navio e na minha fértil imaginação interpretação, o desenho está mais para minha auto-imagem, onde uma "mulher polvo" se entristece percebendo que seus tentáculos estão amarrados... e não é que ele fez até o beicinho?! Ah! E o cílios? Ele nem sabe, mas eis aqui meu retrato no primeiro dia, by "Tom"

Esta foi a primeira parte da viagem e o que ficou foi:
Pontos bons: Alberobello é lindo!!
                     Eu consegui dar o pontapé inicial para amenizar meus medos...
                     O mini club do navio é dez!!!
                     Ver que meus filhos estavam seguros e felizes!!
                     Nem sinal de enjoo, tudo na paz...

Pontos ruins: A parada é rápida, não tivemos tempo de conhecer outras coisas, mas muitas pessoas conseguem...
                     Minha saudade dos meninos foi trágica neste primeiro dia...
                     O preço do taxi, um roubo!!
                   



19 comentários:

  1. Viu, deu tudo certo! Que legal! Acompanhei um pouco do seu drama em viajar lá no forum do FB das mães internacionais e estou feliz em saber que tudo foi bem!

    Puxa, deu vontade de partir num cruzeiro. Qual a companhia?

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Oi Clarinha, foi pela MSC Magnífica. Recomendo!! Beijão, Ju

    ResponderExcluir
  3. Que delícia Ju!!! Nossa, bateu uma vontade de viajar..............

    Adoro visitar o seu blog! Sempre dou uma espiadinha por aqui. =]

    Estou te seguindo!

    minhamaternidade.blogspot.com

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Gostei! Gostei! Gostei!

    Conta Mais! Mais! Mais!

    Que delícia!

    (ps- ano passado fui pra Tallin de navio com a Bia. Estava toda medrosa e foi incrível!)

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju!

    Bem-vinda novamente!!!

    Que delícia de passeio, não??? Áh que gostoso, eu amaria! Morro de medo de navio tbm e acho que se fosse só a Laura, eu não deixaria no clubinho, não... se fosse ela com um irmão, quem sabe... mas só ela, eu jamais deixaria no clubinho "sozinha", por mais que eu saiba que ela fosse amar. Vc está certíssima em admitir teus medos e repensar atitudes, isso é maternar, é pensar, sofrer, amar, se doar, estar feliz, entregue, e sempre tentando fazer o melhor. Só que, para fazer o melhor, nós temos que avaliar o nosso pior... e isso não é fácil, muitas mães preferem não enxergar esse ponto fraco.

    Vc arrasou! Superou vários medos e teve uma viagem fantástica!

    Adorei a cidadezinha, achei linda!!

    Mais fotos, mais contos, mais histórias!!!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  6. Ai Ju, tenho pra mim que viagens, por sairmos fora da rotina, sempre nos trazem aprendizados importantes... aqui em casa não é diferente. E entender que os filhos não são nossa extensão é um aprendizado para o resto da vida.
    Estou ansiosa pelo relato do resto da viagem!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Ju, que máximo! Já vi que essa viagem foi demais!!! Que aproveitaram muito! Que lugar maravilhoso! Amei as fotos e essa lojinha de artesanato. Amei! Também queria conhecê-la... adoro essas coisas.
    Viu só como seus meninos ficaram bem! A gente precisa confiar e soltar as mãos... Um aprendizado para eles e para nós, não é mesmo?
    Quero mais! Quero mais!
    Volto, volto para saber dos outros passeios.
    Beijos, beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Jú...

    muito bom quando a gente consegue superar várias "medos" e receios ao mesmo tempo...confesso que também tenho medo de navio e avião...mas também não deixaria de fazer um passeio lindo desses...

    você tocou num ponto que me enxerguei...eu também me descobri neurótica, medrosa e superprotetora quando minha filha nasceu, o engraçado disso tudo é que eu sempre apontei isso como defeitos da minha mãe...e hoje sou assim...mas juro que tento todos os dias ser diferente...um dia chego lá...

    fico aqui no aguardo dos próximos capítulos...

    bj

    ResponderExcluir
  9. Juuuuu, que bom que gostaram. To adorando a primeira parte.
    Masssss fiquei intrigada com o preço do taxi e pensei em 2 possibilidades:
    Sempre vimos preço de excursão dentro do navio para 4 pessoas o que saia em torno de 200 Euros (mais caro que o taxi).
    Também fizemos um Tour pela cidade e pagamos 80 Euros no taxi... e na Vila Olimpica pagamos 100 Euros.
    E nos outros lugares, só pegamos taxi, mas não pediamos Tour, pediamos pro motorista nos levar até um ponto central e por la ficavamos, andando e admirando tudo. Em Atenas, pagamos 25 Euros do Porto até o Centro e do Centro até o Porto o mesmo valor.
    Bom, fica a dica e abriremos o olho nas próximas...
    Gostamos tanto de tudo que ja estou vendo possibilidades de ir novamente, vamos????
    Bjs.
    Monica

    ResponderExcluir
  10. Oi Ju,
    Que legal essa historia; tenho esperanças de um dia tb conseguir superar esse meu medo de navio (do mar, do enjoo, tudo). E entendo muito bem a mãe polvo e nosso medo de deixá-los com terceiros, longe de nossa supervisão! quando Valentina começou na escolinha já tive um baque...enfim... muitas historias, pouco tempo pra contar! to com saudades! bjao!

    ResponderExcluir
  11. Juuuu, fiz exatamente a mesma viagem que vcs! O mesmo roteiro!! Só que na época o Pietro tinha só 7 meses, não dava pra deixar no clubinho.. Mas comentei que para as crianças maiores era a viagem ideal!!! Vc mandou super bem, eu faria o mesmo (com o mesmo aperto no coração, claro!).. Mas só assim todos aproveitam a viagem da melhor forma e depois tem historias diferentes pra contar no jantar ;-)))! Bj e saudades amiga!

    ResponderExcluir
  12. Ju, eu adoro cruzeiros! Fiz o meu primeiro em familia quando a Sofia tinha quase um ano e me apaixonei pelo esquema! E olha que era o navio mais chinfrim que tinha... hehe. Depois fiz um outro (sempre pela costa do Brasil) so com o maridão, pela Costa (arrepiozito). O navio era maravilhoso, (tinhamos passe livre para o spa - um sonho) e adoramos a viagem. E dai aconteceu o naufragio do outro Costa e eu gelei! Gelei pensando em todas as noites que eu dormi tranquila nos dois cruzeiros confiando cegamente no terinamento e na competência das equipes... gelei pensando que poderiamos ser nos naquela situação! A parte irônica é que eu guardei de lembrança o cartãozinho do treinamento de situação de emergência do Costa... a vida é engraçadinha não????
    Vou passar um tempo com medo de tentar de novo mas que é uma otima idéia de passeio em familia(se a segurança é digna de confiança), ah, isso é muito!!!

    Quero saber o resto!

    bjus!

    ResponderExcluir
  13. q bom q vc se desfez de alguns medos. Eu tambem ficaria com dois coracaoes em deixar ou ir.
    Tambem estive em Dubrovnik este mes. Vai ver q nos cruzamos por la.
    bj

    ResponderExcluir
  14. Ju...
    que viagem espetacular!!!! apaixonei por tudo... e você escreve os detalhes, como eu gosto... rsrsr
    Fiquei com vontade de fazer igualzinho... Um dia quem sabe!
    Olha obrigada por todo seu carinho comigo, vi sua mensagem lá no blog, respondi... e vim aqui ver o que perdi nesta minha fase melancólica...
    e já achei este post pra la' de bacana...
    vou ver se agora não perco mais nada...
    beijosss

    ResponderExcluir
  15. Menina, que viagem magnífica, viajei aqui contigo!Nunca andei de navio, morro de medo de passar mal tb. beijo querida e obrigada pela visita

    ResponderExcluir
  16. Que legal, Ju! Sabe que também ando pensando na hipótese da fazer um cruzeiro há algum tempo? mas fico pensando em enjôo (rá!) e que vai ser uma multidão dentro do navio, um povo disputando comida no buffet e acabo meio que desistindo. E fora que acho que não teria coragem de deixar a Sophia no clubinho das crianças (rsrsrs). Mas vou acabar de ler o seu relato, quem sabe não me animo???
    Beijo!

    ResponderExcluir
  17. Ju que legal, ainda bem que seu marido não desistiu da viagem!
    Amei as fotos e amei seu relato,
    de certa forma vai me ajudar, estou vivendo um dilema!
    Que viagem maravilhosa, e essa só foi a primeira parte!!
    Beijos, e eu estava com saudades de vc por aqui!

    ResponderExcluir
  18. Fotos lindas, e que delícia a loja de artesanatos, adoro "coisinhas" feitas a mão, pra mim sempre tem um toque especial essas peças!
    Que legal que tem superado os seus medos,muito bom ver como nos surpreendemos com eles e com a gente mesmo. Bjooo grandeee

    ResponderExcluir
  19. Adoro seus posts ! Vc escreve tudo que preciso ler rsrsrs.
    Bjs grandes nestes pimpolhos

    Piu

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo(a)! Sente aqui na varanda que eu vou passar o café!