quinta-feira, 31 de maio de 2012

Dois anos aprendendo a ser mãe!

Hoje é dia de celebração por aqui, pois comemoramos dois anos juntos, em família!!

Não é necessário dizer o quanto nos sentimos felizes, né? Mas, confesso que apesar de ser pouco tempo, são tantas informações e vivências que até parece uma vida inteira.

Mas na verdade, como eles ainda são pequenos, e a noção de tempo é diferente da nossa, resolvemos passar como um outro dia qualquer, sem bolos e coisa e tal, mas resta aqui, no coração desta mãe, uma viagem no tempo, relembrando cada etapa, cada conquista e jamais esquecendo do sentimento de euforia  e alegria quando recebemos o "sinal verde" do Fórum.

INESQUECIVEL!!!

E só me resta agradecer à vida, pela oportunidade em experimentar esta dádiva que é ser mãe e como muitas, há dois anos...

  • Eu não vivo mais só pra mim...
  • Eu tenho o sono super leve e acordo a cada tossida no quarto ao lado...
  • Eu cozinho e saudavelmente TODOS os dias...
  • Eu virei motorista, e vou pra lá e pra cá, literalmente...
  • Eu não sei o que é dormir até mais tarde...
  • Eu deixei de ser a primeira pessoa na minha lista...
  • Eu penso, repenso, analiso, reflito...
  • Eu erro...
  • Eu acerto...
  • Eu choro de alegria....
  • Eu babo de cansaço...
  • Enfim... há dois anos eu me construo mãe e tento a cada dia, acertar.

Bisous, Pandora que comemora



domingo, 27 de maio de 2012

Vamos falar de birras

Dias atrás, passeando com os meninos pela borda do lago, me deparei com uma cena inusitada: um pai vestido em um belo terno e a filha passeando também, como os meus meninos, de patinete. De repente, quando o pai ameaça ir embora, a menina se joga no chão e começa a "tal da birra". O pai, talvez cansado, permaneceu olhando pra ela e tentou repreender aquele comportamento e nada...

De repente, o pai simplesmente deitou no chão ( de TER-NO, Oi Burnout, a gente vê por aqui)) e começou a fazer como a filha, se jogou no chão e "birrou" total. Gente!! Até eu comecei a rir da cena!! A menina olhou para o pai e logo levantou. Envergonhada, ficou olhando para os lados para ver se outras pessoas viam a atitude dele. Ela cruzou os bracinhos e continuou com um beicinho tímido que ainda denotava um resquício da birra... mas parou o escândalo que estava fazendo.

Quando o pai percebeu que ela havia parado, ele simplesmente sentou no chão (de TER-NO) e conversou com ela sobre sua atitude e logo após a conversa, ele se levantou e os dois foram embora sem mais problemas. Bem, sem problemas que nada, e o terno? Desfiou foi todo...

E eu sei bem o que significa esta palavra: BIRRA

"Jobim" é leonino, brabo que só ele, mas se você consegue ganhar este coração... pronto: vira logo a barriguinha pra coçar. É manhoso, carinhoso, ai, ai, um amor que só. Mãsssssss, seus momentos de fúria são gloriosos e quando existiam as birras então, uiiii, o bicho pegava. (veja bem... existiam, uffa!!!)

Bem no começo, Jobim tinha um hábito estranho. Com quase três anos, se não gostasse da comida, pimba!! Lá ia um prato para o alto e comida também, claro! Se frustrado, gritava, ou melhor, berrava muito alto, mas muito alto mesmo e seu choro era daqueles fortes, estrondosos.

Eu me lembro de várias birras, tanto em casa, como nas ruas. Elas eram homéricas e causavam em mim uma espécie de sentimento que digamos assim... não eram nada bons de sentir.

Um dia, durante um passeio, ele começou a chorar muito pois ele queria ficar perto de uma área reservada a alguns artistas de rua e nós precisávamos nos retirar. Apesar de explicarmos o motivo, aquilo não era claro pra ele e a birra então, começou.

O primeiro passo foi ignorar. Continuamos andando calmamente (eu, meus pais e "Tom") e ao ver que ele não nos acompanhava, paramos. Ele continuava enlouquecidamente a gritar. Então, passou um senhor, daqueles bem broncos e soltou um: "Xiiiiiiiiiiiiiiiii" bem alto à ele. Nossa, eu não sabia se ria ou se chorava. E nada... Ele não parava com a gritaria.

E assim fomos, durante alguns meses ainda, na tentativa de ignorar e parar com aquele comportamento.
Então, uma pessoa da família, muito querida, pediatra, que estava conosco na Noruega por uns dias, viu algumas dessas cenas e nos deu uma dica preciosa: Assim que a birra começar, sentá-lo em um canto pra acalmar o coração, por apenas três minutos, ou melhor, um minuto por idade e retirar logo que parar, ou seja, mostrar que o esforço dele valerá a pena.

Claro que no início ele levantava, me batia, não queria ficar e berrava ainda mais, e toda vez que o fazia, eu o colocava novamente. Um dia, ao deixá-lo para acalmar o coração, ele chorava de um jeito tão cruel, que eu mesma achei que estavam fazendo algo com ele e esta pessoa me segurou e me acalmou, pois na verdade eu mesma o queria tirar de lá. Eita fase difícil esta, heim?

Voilà,

Assim o fizemos por um bom tempo. E quando ele parava de chorar, nós o retirávamos e dávamos os parabéns pelo feito. Incrível gente, mas funcionou e muito!! Ele era terrível de brabo e quem o conhece hoje jamais imagina uma cena destas e também acontece com que viu o começo e vê agora. Ficam pasmos.

Mas, como a maioria das mães... aqui vai um segredinho inconfessável: (Não conte a ninguém, hã?)

Um dia, na casa de uma amiga, ele deu tabefe no amiguinho e eu, claro, além das desculpas, o coloquei para acalmar o coração lá no quarto onde brincavam mesmo. Mas... conversa vai e conversa vem com outras mamães, a mãe aqui esqueceu de liberá-lo para a farra novamente e... ele ficou uns quinze minutos lá, esperando, acalmando o coração... ôoo dó... mas depois, eu pedi desculpas pra ele pela falha nossa e ficou tudo bem, afinal, mãe também erra, né? 

Ou não???


Vamos acalmar o coração... mamãe? 
Foto retirada da Web 


sexta-feira, 25 de maio de 2012

Minha mãe é uma bruxa e o Dia Nacional da Adoção

Editado: Caros amigos do Contos, 
Após este post, onde coloquei fotos do livro "Minha mãe é uma bruxa" e a tradução do mesmo, uma amiga me alertou sobre problemas com plágio, pois não pedi autorização formal aos autores para tamanha façanha. Portanto, recomendo a leitura deste livro, que nada mais é que um convite à reflexão sobre todo o processo de adoção, pelos quais muitos de nós passamos, desde tratamentos até toda a burocracia, de uma forma lúdica e inusitada. 
O livro foi comprado aqui na Suíça e está todo em francês, mas acredito que possam encontrar em outros idiomas. Peço desculpas por ter que refazer o post, retirando a tradução e também, algumas páginas.  Falha nossa!!
Este post foi escrito em comemoração ao 25/05, o Dia Nacional da Adoção no Brasil. 
Obrigada pela compreensão, Juliana


 Minha mãe é uma bruxa - Rascal et Neil Desmet














  

***

Ao terminar este post, vi um desabafo do amigo e jornalista 

Fabrício Escandiuzzi, que diz assim:

Hoje é o Dia Nacional da Adoção.

É para ser um dia lindo, de destacarmos uma proposta maravilhosa e um grande ato de amor..

A Assembléia Legistiva de SC, em parceira com a OAB, o Ministério Público e a Justiça têm um interessante projeto para promover as adoções.

Uma pena que os esforços na campanha não se reflitam em agilidade nos processos de adoção no estado.

Tudo continua lento, principalmente quando cai na área da assistência social. Famílias esperam a habilitação enquanto crianças esperam por uma nova família em abrigos....

Uso o dia da Adoção para um desabafo que não deveria fazer na internet: estou há mais de um ano na fila e o meu processo sequer foi enviado à Assistência Social. Do jeito que entrou, ficou....

Uma pena gastarmos uma grana com publicidades e audiências quando poderiamos fazer um mutirão e tirarmos essas crianças dos abrigos. Advogados e profissionais estão engajados na campanha, ou não???

Do que adianta filmes bonitinhos na TV quando a realidade são mesas repletas de processos que não saem do lugar.

Como eu, tem quem quer muito adotar.

Eu e minha esposa estamos cheios de amor para dar e tenho certeza que existem muitas crianças esperando que a Justiça seja menos lenta...

Que o Dia da Adoção, seja um dia de reflexão para nossas "otoridades".....

Fabrício Escandinuzzi.

E aí amigos do Contos? Vamos fazer barulho minha gente? 

E eu fico como?

"De olhos e nariz vermelhos"...não, não sou o coelhinho.

Tudo é lindo, chega a ser até uma paisagem de filme e sempre digo brincando "Nossa, parece até que estamos na Suíça", mas brincadeiras a parte e tirando todo o romantismo em questão, hoje o assunto é Pólen, o vilão.

Imaginem que há dois meses estava um frio danado e ainda a neve pairava nos picos dos Alpes. E nós moramos, vamos dizer, um pouco abaixo da metade do caminho deles, então, aqui na riviera suíça a gente tem de tudo um pouco, e pra ilustrar isto foi que na semana passada, em plena primavera, nevou aqui pra cima. A-DO-RO.

Mas imaginem que em um passe de mágica as árvores que antes estavam sequinhas, sem folhas e flores, agora exibem uma silhueta robusta, bem verde e as flores, ahhhh, as flores são um encanto a parte. Algumas até parecem ser cultivadas simetricamente e são, mas outras nascem maravilhosamente como um  grande milagre da natureza e enchem os olhos e a vida de quem as vê. LINDAS!!
Na porta da escola das crianças

Nos campos suíços...


Descendo um dos Alpes perto de casa.

Foto tirada de dentro do trem, a caminho do "Rochers de Naye".


A Primavera "pipocando" por aqui. 

As famosas  "narcissus flower"

A questão é que não existe mágica, claro. O que existe é uma mudança relevante na quantidade de luz diária, ou seja, na primavera e no verão, o sol nasce bem mais cedo que o habitual e nos embebeda com sua visita até aproximadamente 22h aqui na Suíça, ou seja, tem muita abelha e muito vento levando pra lá e pra cá, um pó amarelo, que gera vida e que faz todas estas coisas lindas acontecerem... o Pólen, que vou carinhosamente chamar por vilão, já que é por causa dele que neste momento os olhos estão gigantes e vermelhos, o nariz não pára de "minar" uma coriza brilhante e os espirros, bom, estes já são um conto a parte. Basta começar um e lá se vão dez, em carreirinha. E a dor de cabeça?!

Tadinha dela, né?
Tadinha nada... Como diz o ditado popular: "Coitado é gato, que nasce pelado na porta do mercado". Ela fica bem e pra isso existe recurso minha gente: 
Remédio homeopático para : A febre do feno pelo pólen de gramíneas

Uma dose homeopática a cada hora... melhora um pouco. 


Mas não é mole não...
Final do dia, eu tô mais ou menos assim "Óh":


Bisous, fui... espirrar.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Não fale de boca cheia!!

Sabe aquelas horas quando você vê seu filho fazendo algo e logo pergunta: "Mas onde foi que ele aprendeu estas coisas?" E é claro que muitas vezes esta pergunta surge de uma surpresa inusitada, que te enche de orgulho.

Ontem vi uma cena na escola deles que me senti assim... Ao encontrá-lo no pátio ele me disse que a professora estava me chamando e quando chegamos na sala de aula, lá estava ela, sentada, escrevendo em sua mesa em um canto da sala.

Foi então que ele deu três batidinhas na porta, entrou em um passo lento e com as mãos juntas em frente ao corpo, soltou (em francês, ok?):

_ Professora, com lincença? Minha mãe já está aqui.

Confesso que fiquei surpresa com tamanha educação, que claro, apesar de tentarmos, jamais o vi fazendo isto assim. E de onde surgiu isto minha gente?

A resposta não é difícil.

A educação nas escolas suíças é algo que me impressionou desde os primeiros dias. Claro que não podemos generalizar, mesmo porque minha experiência neste país e minhas impressões são baseadas apenas nesta escola em questão, a escola de "Tom" e na Garderie onde "Jobim" exerce a língua francesa e aprende a viver socialmente com outras crianças. Então, cumprimentar a professora com um aperto de mão e olhando nos olhos dela é algo corriqueiro por aqui e muitos me perguntam: "Mas as crianças gostam da escola? São felizes, apesar das regras?" E eu digo pelos meus filhos: São e muito.

Me enchi de orgulho ao ver meu filho, um menino de seis anos me mostrando que a educação vale a pena e que precisamos nos atentar mais a estes aspectos que infelizmente tem se perdido em muitas famílias.

E então, hoje eu quero compartilhar com vocês um  dos vários livros de uma pessoa que tive a felicidade em conhecer, a autora Suzana Doblinski e que se tornou uma amiga muito querida:



O livro possui uma linguagem simples, onde o texto conversa com a criança, o que torna o entendimento mais claro para nossos rebentos.

E para as mamães e papais que querem saber mais sobre etiqueta pessoal e empresarial, a Suzana também têm um site muito interessante sobre vários assuntos relacionados à etiqueta, o Doblinski Institute e também uma fan page no facebook.

Vale a pena passar lá e dar uma olhadinha nas dicas, vamos lá?

Bisous, "Mãe Pandora Recomenda"


quarta-feira, 16 de maio de 2012

A bruxa tava solta...

7h00 - dia 15/05/2012

_ Bonjour!! Bonjour meus amores!! Tá na hora de acordar...

E nada...

Beijinhos nos pimpolhos e o mais novo sorri e diz que sou linda, já o mais velho dá uma forte resmungada bem bafuda e vira de lado.

Tento novamente.

Mas, o sono estava forte e além de beijinhos, rolou um "GENTE, TA NA HORA DE ACORDAR!!", mais convincente.... e nada.

Janelas abertas e enfim, eles despertaram.
Enquanto tomávamos nosso "petit déjeuner", meu telefone tocou. Era a professora chamando para mais um capítulo da novela: "Meu filho vai, ou não vai para a primeira série"... decisão que muito em breve será tomada, pois estamos quase no final de um ano letivo.  

PAUSA
Acordei animadíssima para correr, caminhar, comer pouco e cuidar de mim. ADORO quando acordo assim!! Mas como eu tinha aula de francês e um coleguinha de escola deles vem todas as terças-feiras almoçar conosco, teria que deixar a corridinha para mais tarde. Ok, talvez enquanto eles ficassem na aula de música. Ah, o cardápio da animada era fazer um "rondelli com ricota e espinafre" para a criançada....
FIM DA PAUSA

Gente, eu sofro de algum problema no "nervo ansioso" da pessoa, pois imagine que o simples telefonema da professora gerou neste ser, os seguintes sintomas:

  • Primeiro ato, decido não ir a aula de francês. Eu não iria me concentrar na aula, pensando na conversa com a professora;
  • Ligo para a mãe do coleguinha e desmarco o almoço, já que a conversa seria após a escola, na período da manhã;
  • Desisto de correr e só penso em comer. Gente, como eu como quando estou ansiosa!!! Incrível, mas a sensação é que isso vai me ajudar em alguma coisa... o óh isso, viu!!
Conclusão,

Nós mães, quando estamos "mal", ansiosas, preocupadas, as crianças parecem que têm antenas que captam cada sentimento nosso e aí minha amiga, segura a peteca que lá vem dia difícil. Aqui foi assim ontem: garrafa térmica do lanche que virou bola de capotão no recreio e voltou detonada pra casa, crianças testando sua paciência e capacidade intelectual o dia todo, ufffaa... 

Então, quando a gente diz "A bruxa tá solta", eu digo: É melhor prender esta mulher, ou então, pagar o preço (como no meu caso) de ir dormir com a consciência e o corpinho mega pesados após a comilança compulsória desenfreada. Pra quê gente? 

Ah! Adivinhem? Estamos em feriado aqui na Suíça, são cinco dias com as crianças em casa... 

Então, que venham as FADAS...

Bisou, Ju

domingo, 13 de maio de 2012

Mãe moleca...

Redescobrir, reconhecer, ser...
Se fascinar, cansar, esbravejar.
Buscar, tentar e querer muito acertar.
Se encantar, sentir, molecar.

Sou Mãe então.
Então, tá!!
Tenho conhecido de pertinho o universo masculino, desbravando o que há de novo em mim, apenas assim: sendo mãe de meninos, me inventando moleca.

Me encantando em ver mais que pernas crescendo, vendo almas em movimento.

***
Agora a fase é outra. A fase é da mãe que patina, esquia, chuta a bola.

Hoje é Dia das Mães e passei aqui pra dar um beijo em cada mãe por escolha, em cada tentante e em cada mulher que espera um filho na fila de adoção.

E aqui mostro meu presente, que ganhei dos meus filhos, pra marcar pra sempre esta nova fase, como uma tatuagem, uma marca...

Um presente personalizado, customizados por eles. Amei!!!

Surpresa do super papai, que uniu em um só presente, duas paixões. Juntinhos e totalmente único.

Este pé, com desenhos by "Jobim" (4anos9m)

E este aqui, by "Tom" (6anos)

Bonne journée à "toutes les mamans"!!


Beijos em cada uma de vocês!!




quinta-feira, 10 de maio de 2012

O Sistema Público Suíço de Ensino

Esta semana tivemos uma palestra na commune do cantão de Vaud para os pais das crianças que ingressarão no Primeiro Ano Escolar do Ensino Fundamental, no próximo 27 de agosto de 2012. Veja bem, a escola ainda está avaliando se "Tom" vai ou não vai para esta série e então, continuamos assim... com cara de paisagem. E o pior é que estávamos bem decididos que o melhor pra ele no momento seria permanecer mais um ano no "segundo infantil", mas confesso que após a palestra, fiquei em dúvida novamente.

Veja como funciona o sistema público aqui. As crianças tem por direito, dois anos de ensino gratuito no jardim de infância até completarem seis anos. Neste período fazem muita bricolagem, ginástica, começam a ler, a escrever palavras simples e o próprio nome e aprendem a viver em sociedade éaiqueobichopega!!.

A palestra contou com a presença de alguns vinte profissionais da área pedagógica, psicológica, fonoaudiológica, enfim, todo o aparato que a Educação necessita para funcionar realmente. Os tópicos discutidos foram basicamente estes:

  • O Primeiro ano terá então, uma sala especial para alunos francofônicos, onde os professores respeitarão o ritmo da turma já que nem todos são fluentes na língua francesa. Ahh, gostei!!!
  • No Primeiro ano terão aulas extras de ginástica e a partir do Segundo ano, natação. Haverá uma pessoa responsável por levar as crianças da escola para as aulas nos respectivos locais. Legal!!
  • Deixaram bem claro que a partir do Primeiro ano escolar, o ritmo da criança mudará. Pediram categoricamente para que as crianças não assistam televisão antes da ir a escola, pois segundo eles, o cérebro da criança precisa se preparar para o aprendizado e focar nas A.T.I.V.I.D.A.D.E.S escolares. Lembrando que aqui na Suíça os alunos tem aula o "dia todo" (parece, mas não é) e almoçam em casa. Então, euzinha faço o caminho até a escola/casa, entre idas e voltas, OITO vezes ao dia! Rá!!!
  • Telefones celulares são proibidos na escola.
  • Terão uma agenda diária, onde a professora dará um "feedback" caso seja necessário, por escrito, aos pais. 
  • Os alunos saem às 11h45 na parte da manhã e caso necessite de uma orientação extra, ele ficará mais quinze minutos com a professora, ou seja, até meio dia. Diariamente. 
  • Deveres de casa são diários.
  • Serão avaliados comportamentos e atitudes dentro da classe. É aiqueobichopega-parteII
  • Os alunos terão aulas de Francês, Matemática, Atividade artística, Escrita, Ed. Musical, Ed. Física, Informática, aulas de como ser um cidadão no mundo (como melhorar o lugar onde vivemos) e também aulas de Cultura Religiosa, ou seja, como respeitar e tolerar a religião do outro, já que os países europeus recebem muitos refugiados de guerra e também muitos muçulmanos. Daí eu lembrei da tragédia que aconteceu em julho do ano passado na Noruega, onde um norueguês atirou e matou mais de setenta jovens em um acampamento, por simplesmente não tolerar a religião dos mesmos. 
Após a palestra me senti muito amparada por aqui. Os suíços podem ser muito diferentes de nós brasileiros e isto realmente nos assusta um pouco no início, mas depois, as coisas começam a se acomodar e fazer muito sentido. As crianças são extremamente educadas (no bom sentido) e o país funciona. 
São regras em cima de regras e todas muito detalhadas, explicadas e bem amarradas.
Irrita? Sim, claro. Aqui é tipo "tolerância zero", não tem meio termo, ou é, ou não é. Ou "oito ou oitenta".

E agora José? 
A escola 

"Tom" escreveu sozinho  "Maman Merci" 
O que eu vejo e sinto é que "Tom" tem se destacado fortemente na área acadêmica, já lê e escreve algumas simples palavras, mas claro, tem sangue brasileiro, latino e muita "vida"  (pra não dizer agitação) e isso aqui, pode não ser visto com bons olhos. E nós, pais, temos feito o que está ao nosso alcance, damos todo o suporte em casa, levamos na psicóloga, em aulas de esportes, aula de música...  o resto?  Só o tempo dirá.

E vamos seguindo. Espero que em breve a escola possa nos chamar para uma conversa e então, terei novidades sobre esta tema. Enquanto espero... fico com cara de paisagem e olhando pra ela, dá uma olhada na vista que a escola na montanha encantada têm... de tirar o fôlego, hã? 

E para quem quiser mais informações sobre o funcionamento e a organização do sistema educacional da Suíça, clique aqui 

Bisous... fui!!! buscá-los na escola. 



quarta-feira, 9 de maio de 2012

Estamos no Mamatraca esta semana!!

Esta semana o Mamatraca está fazendo uma homenagem a muitas mães de carneosso, trazendo depoimentos de histórias reais que muitas de nós, mães (encho a boca pra falar), temos pra contar. Daí que eu estava aqui em casa, naquela correria enorme para o aniversário do filho, quando a super querida Priscila me fez o convite para participar do "Mãe é tudo igual" desta semana do Dia das Mães, lá no Mamatraca.
Me senti superfelizencantada honrada né? Poder compartilhar nossa história assim, FA. LAN. DO e desta forma, foi uma enorme alegria!!
E eu só consegui gravar o vídeo no domingo pela manhã (reparem na cútis inchada dela), mas falei com o coração e com toda sinceridade que eu acho que a vida deve ter e ser. E as fotos?? Noooossa, vocês sabem o quanto eu tenho "neura" com isto, né? Mas tenho trabalhado isso e resolvi abrir uma exceção para O Vida de Mãe e para o Mamatraca, desta semana tão especial!! Depois passem lá pra conhecer os rostinhos dos meus príncipes, um é o pai e o outro, a mãe.
Espero que gostem de me ouvir, ehehe.
E ah! Não poderia deixar de contar a reação dos filhos quando viram o vídeo.
Um foi logo perguntando o porquê da mamãe estar sozinha lá no quarto falando (é... ele principalmente  está sempre grudadinho na mamãe)... e quando perguntei o que eles haviam entendido, e um deles completou: "Mamãe, entendi que você estava com saudade da gente, né?" e o outro completou: "Eu entendi que agora nós somos uma família". 

Precisa de mais?

Vou contar uma coisa:
Ser mãe é a coisa mais gostosa deste mundo!!!!
Olha a gente ali em cima fantasiados de Pinguim :-o
Por isso, Feliz Dia das Mães a todas as mamães que visitam este cantinho e eu não poderia deixar de me lembrar e dar um abraço muito especial, àquelas que estão na espera por um filho na fila de adoção e também para àquelas que estão na batalha nesta vida de tentante. Um beijo bem carinhoso em cada uma de vocês! 


E para quem quer conhecer mais um pouquinho de nossa história, ou ouvir tudo de novo, mas com o charme do cabelão louro desta que vos fala, passe lá, deixe um oi :-) pra amiga aqui, vou adorar receber a visita de vocês!! E aproveitem para dar uma espiadinha nas obras de arte feitas por "Tom e Jobim"!! 

Bisous...com carinho, daquela que vem deixando de ser Pandora, pra se apropriar dela mesma... com todas as suas facetas em apenas uma só, a Juliana.



terça-feira, 8 de maio de 2012

Uma alegria ser Mãe e estar no "Vida de Mãe" nesta semana pra lá de especial

E para comemorar minha maternidade e a realização deste sonho no meu segundo Dia das Mães, compartilho com vocês um texto e... fotos!!! Eba!!!! 
Para me visitar lá, clique aqui

domingo, 6 de maio de 2012

O aniversário suíço do meu filho brasileiro...

Ufffa, escrevo este post completamente feliz e totalmente relaxada após o aniversário de seis anos do "Tom". A comemoração foi ontem, dia cinco de maio, exatamente no dia em que ele nasceu.
E como temos acompanhado as festinhas dos amigos da escola, decidimos fazer um aniversário no estilo suíço, pois a maioria dos convidados eram daqui. Claro que as diferenças para um aniversário brasileiro, são enormes e vou contá-las tim-tim por tim-tim.
E tem diferença?
Muitas. Posso começar enumerando cada uma delas e "azamiga" que moram aqui devem podem colaborar acrescentando suas experiências nos comentários, ok? Conto com vocês!!
Voilà!
Como o papai estava viajando a amiga aqui precisou de uma mãozinha ou melhor, quatro mãozinhas, as dos filhos e eles ajudaram e curtiram cada etapa dos preparativos da festinha, foi uma delícia.
Ainda de pijama, eles me ajudaram com os balões.  E adoraram a farra, principalmente quandoos balões estouravam!! 
OS CONVIDADOS
Este item dá "pano pra manga" aqui na Suíça, pois nem todos são convidados para a festinha, que são no máximo, dez crianças. Já me senti muito mal na porta da escola vendo os coleguinhas com convites e perceber que meus filhos não haviam sido convidados. Ok, é algo bem comum por aqui e aprendemos aos poucos a nos acostumar com estas faltas de educação diferenças culturais. 
Então... resolvi tirar vantagem disto. Como moramos em um apartamento, convidar muitas crianças realmente seria uma crueldade com eles e conosco também. E pensando bem, convidar dez coleguinhas e poder brincar em casa com "tranquilidade" e uma boa curtição, pode ser bem legal. 

FEITO! 

Convidamos dez coleguinhas e com "Tom e Jobim", foram ao todo: Doze. 
Nota importante: Me senti a bruxa com verruga no nariz e cabelos vermelhos quando convidei apenas algumas crianças. Parecia que estava fazendo algo muito errado, foi realmente estranhíssimo fazer algo que é comum por aqui.... mas, algumas vezes é importante "dançar conforme a música" e aproveitar o lado bom que cada coisa pode ter.

A DINAMICA DA FESTA

Algo comum por aqui também é convidar as crianças e deixar claro que ela poderá ir fantasiada ou do jeito que ela quiser, para a festa. Eu particularmente achei isto o máximo! Criança tem que ser livre mesmo  e foi muito legal ver os colegas chegando cada um de um jeito mais legal que o outro.
Outro fator muito interessante são as atividades, o que confesso, me fez voltar a minha infância.
As atividades preparadas foram as seguintes:

  • Colocar o rabo no burro com vendas nos olhos. Eu, troquei o burro por um pássaro e eles tinham que colocar o bico e sabe por qual motivo? Eu não sabia desenhar um burro gigante, ehehehe. Então, antes de recorta-lo, o pássaro ficou assim:

O aniversariante pintando a gravata do pássaro.  

  • Gincana do ovo na colher;
  • Bricolagem: Deixamos um espaço para que as crianças pudessem recortar, pintar e colar adesivos em uma moldura de um porta-retrato. Depois, tiramos uma foto de toda a turma e na próxima semana Gabriel levará para a escola sua lembrança do dia e personalizada!! 

Cada criança personalizou seu porta-retrato para depois, colocar a foto tirada de todos, no dia da festinha.

  • Pudemos contar com a ajuda de São Pedro, que deu uma trégua na chuva por 30 minutos e lá fomos jogar um pouco de bola na grama e pular no "pula-pula";
  • Sim, o vídeo-game ajudou e muito quando a chuva começou;
  • Brinquedos à vontade no quarto;
  • E a tal da Pinata, que estoura e espalha um monte de brinquedinhos também foi um sucesso geral. 

O CARDÁPIO

O cardápio da festa foi muito fácil e barato. Fiz uma pesquisa com vários suíços, como professoras, mães e amigas para saber o que as crianças suíças comem em um aniversário às quatro horas da tarde e as respostas foram unânimes:

  • Pão com manteiga (ou queijo);
  • Chips;
  • Pipoca;
  • Bolo de chocolate;
  • Sorvete;
  • Frutas;
  • Balas;
  • Chá gelado e água.
Choquei, né? Mas adorei!!

Claro que como brasileira nata não poderia ficar somente com estas opções... acrescentei então,  mini cachorro-quente, brigadeiro de colher, beijinhos, salgadinhos tipo isopor e além das bebidas acima, suco de laranja. 
Pasmem! O cachorro quente nem foi tocado (e olha que eu tentei, heim?), o pão com manteiga foi quase  todo e chips, salgadinhos e pipoca, não sobraram. E o brigadeiro de colher??? Nada minha gente, e quem provou, não gostou.

Atacaram todos os morangos da mesa e o suco de laranja também ficou. Eles gostam mesmo é de água e chá gelado com aroma de pêssego, tá?





E o bolo? 

Bolo do aniversário de 6 anos de "Tom"

Ahhhh, o bolo foi um prazer a parte!
Eu vi este bolo no blog da Nivea e me encantei logo de cara. Achei lindo, elegante e acima de tudo com cara de criança. 
Fazer então foi um barato, pois pude contar com a ajuda dos meninos e eles pareciam que estavam montando um brinquedo com Lego. RECOMENDO!!!!
Vamos ao Making of do bolo? 

A massa foi uma receita simples de bolo de chocolate e o recheio foi "baba de moça", que eu adoro! A receita do recheio eu tirei daqui e acrescentei morangos, para refrescar um pouco. 

Duas camadas de massa e recheio "baba de moça" com morangos.

A cobertura foi simples:
- 4 colheres de água;
-2 colheres de açúcar;
-1 xícara de chocolate em pó;
-1 colher de margarina.

O acabamento do bolo foi um acontecimento e a carinha das crianças quando olharam para ele, foi outro. Você precisará de: 
Um pacote de Smarties e barrinhas de KitKat,

Eu decidi cobrir apenas no topo, para não ficar muito doce, já que as crianças daqui não são acostumadas com estas guloseimas e para grudar as barrinhas de KitKats foi super simples, colei com o próprio recheio. 



Para minha surpresa, as crianças comeram e algumas repetiram e os pais, na saída dos filhos também não resistiram e aceitaram um pedacinho. Conclusão: APROVADO!! 

A arte final ficou assim:





Sobrou só um pedacinho.... Bom sinal, né? 
O saldo no final do dia foi compensador:

Aniversário gostoso, preparado com a ajuda do aniversariante, alegre, barato e muito, muito interessante. 
Adoramos a experiência!! 
E devo confessar que contratei uma ajudante para me auxiliar no pós-festa. Imaginei que o sofá e as paredes ficariam repletas de brigadeiro e molho de tomate, que o chão viraria uma paçoca com as batatinhas e as pipocas esmagadas, mas inacreditavelmente as paredes e o sofá (que é branco e de Te.Ci.Do) estavam limpos e o chão, nada demais. Acredita amiga? "Educação. A gente vê por aqui"...

Bisous... daquela que ficou com água na boca e correu para comer o último pedacinho do bolo... ehehehe. Ela não é de ferro.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Música maestro! Um encontro com Edgar Willems.

Antes de continuar a saga da viagem, vamos falar de música?

Esta semana nossos filhos começaram as aulas de música e foi uma agradável e bizarra surpresa. O método, também conhecido como método Edgar Willems, foi criado por um pedagogo e musicista, que acreditava que iniciando a musicalização desde pequeno, a aprendizagem mais tarde se tornaria mais espontânea, devido a intimidade que a criança estabeleceria com a arte.
Eu e o maridão, quando pequenos fazíamos aulas de piano, mas a falta da prática nos tirou total o domínio nos dedos. Uma pena, né? Mas, estes meninos ainda podem contar a avó paterna e um tio que ainda tocam e claro, encantaram os meninos desde  que descobriram o piano pela primeira vez. 

E sabe, esta é a "praia" do "Jobim". Este meu pequeno leonino que neste momento ruge ronca desmaiado ao meu lado (isso, já é noite aqui nos alpes...), tem muito dom pra música. Sabe? Então, já dá pra perceber que ele tem. Ele marca ritmo nas músicas, observa o som, verdade!! Ele fica paradinho prestando atenção no som de cada coisa e pergunta e ouve tudo o que se possa imaginar. 

E durante a aula, cada um com seu grupo e durante 45 minutos, eles puderam experimentar o som, o ritmo, a audição, tudo com ajuda de diversos instrumentos, como sinos, apitos, copos de plástico, moedores, e também com o próprio piano, onde as crianças acompanhavam a professora e imitavam os sons dos animais, os sons da natureza. Foi ENCANTADOR!!!

Outra coisa, foi perceber o quanto o método preza o papel da família e principalmente da mãe, que representa a mais importante base para o desenvolvimento musical das crianças. Você sabia?? Hã? Hã? Eu não... mas isso pode ser motivado primeiramente através das canções de ninar. Rá!!

Também percebi no primeiro dia que "Willems" dá especial importância às canções e além disso, baseia-se na rítmica instintiva natural do movimento do corpo. MUITO BOM!!! E é importante deixar claro que em seu método não será exigido, nunca da criança, que cante bem, tenha uma bela voz ou postura de palco. O cara, era principalmente pedagogo, né? 

Então, para "azamiga" que me perguntaram sobre as aulas, eu deixei o link de um site com sua biografia e método alí "Ó" no início do texto e faço apenas uma consideração final: A professora é daquelas, bem severas sabe? Tipo assim: nenhum "piu" na aula gente... eu era a única mãe assistindo e as crianças estavam super comportadas, um barato. E imaginem se eles gostaram? 
AMARAM!!! Com professora rígida e tudo mais, a música venceu!

Bisous...