quarta-feira, 16 de maio de 2012

A bruxa tava solta...

7h00 - dia 15/05/2012

_ Bonjour!! Bonjour meus amores!! Tá na hora de acordar...

E nada...

Beijinhos nos pimpolhos e o mais novo sorri e diz que sou linda, já o mais velho dá uma forte resmungada bem bafuda e vira de lado.

Tento novamente.

Mas, o sono estava forte e além de beijinhos, rolou um "GENTE, TA NA HORA DE ACORDAR!!", mais convincente.... e nada.

Janelas abertas e enfim, eles despertaram.
Enquanto tomávamos nosso "petit déjeuner", meu telefone tocou. Era a professora chamando para mais um capítulo da novela: "Meu filho vai, ou não vai para a primeira série"... decisão que muito em breve será tomada, pois estamos quase no final de um ano letivo.  

PAUSA
Acordei animadíssima para correr, caminhar, comer pouco e cuidar de mim. ADORO quando acordo assim!! Mas como eu tinha aula de francês e um coleguinha de escola deles vem todas as terças-feiras almoçar conosco, teria que deixar a corridinha para mais tarde. Ok, talvez enquanto eles ficassem na aula de música. Ah, o cardápio da animada era fazer um "rondelli com ricota e espinafre" para a criançada....
FIM DA PAUSA

Gente, eu sofro de algum problema no "nervo ansioso" da pessoa, pois imagine que o simples telefonema da professora gerou neste ser, os seguintes sintomas:

  • Primeiro ato, decido não ir a aula de francês. Eu não iria me concentrar na aula, pensando na conversa com a professora;
  • Ligo para a mãe do coleguinha e desmarco o almoço, já que a conversa seria após a escola, na período da manhã;
  • Desisto de correr e só penso em comer. Gente, como eu como quando estou ansiosa!!! Incrível, mas a sensação é que isso vai me ajudar em alguma coisa... o óh isso, viu!!
Conclusão,

Nós mães, quando estamos "mal", ansiosas, preocupadas, as crianças parecem que têm antenas que captam cada sentimento nosso e aí minha amiga, segura a peteca que lá vem dia difícil. Aqui foi assim ontem: garrafa térmica do lanche que virou bola de capotão no recreio e voltou detonada pra casa, crianças testando sua paciência e capacidade intelectual o dia todo, ufffaa... 

Então, quando a gente diz "A bruxa tá solta", eu digo: É melhor prender esta mulher, ou então, pagar o preço (como no meu caso) de ir dormir com a consciência e o corpinho mega pesados após a comilança compulsória desenfreada. Pra quê gente? 

Ah! Adivinhem? Estamos em feriado aqui na Suíça, são cinco dias com as crianças em casa... 

Então, que venham as FADAS...

Bisou, Ju

14 comentários:

  1. Esse parece ter sido um daqueles dias que era melhor nem ter acordado, ficado dormindo e pulado pro próximo!
    Ai, ai... ansiedade é um mal que me corrói, e ai junta o sofrimento antecipado (99% das vezes totalmente desnecessário e sem sentido) e ai danou-se tudo.

    Espero que tudo fique bem no final e só fadas apareçam haha.

    beijocas

    ResponderExcluir
  2. Perfeito Ingrid, no final do dia era bem assim que eu me sentia... beijoks, Ju

    ResponderExcluir
  3. Vixe, Ju.... a conversa será quando, depois do feriado?

    Sei que parece bobo dizer, mas... lá vai: tente não se estressar tanto com essa conversa, afinal, os meninos estão contigo, sob seus cuidados, são seus filhos e ir ou não para a primeira série, apesar de ser uma decisão muito importante, não é a mais importante para hoje. Vc já tomou decisões mil vezes mais significativas e fez sem pensar, sem titubear. O que tiver que ser, será. Acredite.

    Agora, se não conseguir segurar a ansiedade (falar é fácil, eu tbm sou mega ansiosa), faça algum doce menos calórico, como gelatina, que vc pode comer de tigela mesmo, sabe? Ou cookies integrais (com chocolate, of course), aproveite os meninos aí para te darem uma ajuda na cozinha, vai ser uma distração muito bacana, eles vão gostar (eu acho), e vc vai fazer algoq ue não engorde...

    Beijos, fique bem!

    ResponderExcluir
  4. Oi Ju, estou aqui para agradecer a visita no dani13sophia.blogspot.com e retribuir.

    Sabe que já estive aqui... mto fofo seu blog. bisou! Dani

    ResponderExcluir
  5. Oi Danis!!
    Dani Rabelo, adorei as dicas amiga!! Com certeza eu vou querer algo muito mais calórico, mas prometo que tentarei.
    Então Dani, a nossa decisão na verdade já está tomada. Não nos importamos que ele fique e refaça o "pré", mas a questão é mais profunda.
    Segundo as professoras, ele é um dos melhores alunos da classe, capta tudo rápido, quando faz, faz bem feito. O problema é fazer. Ele quer sempre parar as atividades para brincar e aqui o ensino é levado muito, muito a sério. Elas temem que o próximo ano, seja muito "puxado" pra ele, já que não demostra tanto interesse.
    E é ai que a coisa emperra.
    Eu não concordo muito com a teoria delas. Elas dizem que ele não tem interesse e logo quer brincar e eu digo que, na verdade, pra elas é muito mais fácil deixa-lo brincando (é o momento em que ele fica mais quieto) a tentar motivá-lo.
    Esta semana as professoras se reunirão com a psicóloga e nós também, e espero que o melhor aconteça pra ele, que fica com os olhos marejados quando tocamos na possibilidade de ele ficar...
    Conclusão, uma novela que mexe muito com o coração dessa mãe... mas vamos torcer, ok?
    Beijão e super obrigada pelo carinho!!! Ju

    ResponderExcluir
  6. Ju impressionante como descontamos na comida...hahaha Porque não saímos correndo pelas ruas nessa hora? Incrível!
    E os filhos percebem... precisamos dar conta disso também. Não é fácil, nós transmitimos um tanto. Todo cuidado é pouco.
    Agora quanto a reunião estou curiosa para saber quais são os reais motivos da escola para não deixá-lo ir para a 1 série, quero saber o que você pensa a respeito de tudo isso.
    Você viu minha mensagem? Respondi... agora precisamos nos organizarmos.... Será ótimo um encontro!
    Beijos, beijos

    ResponderExcluir
  7. Bom, então puxa a cadeira...rs rs rs
    Vamos lá! Sua explicação me levou a tantos pensamentos. Adoro pensar e analisar esses temas.
    A-D-O-R-O!
    Vou colocar minha opinião para vocês, todos os aspectos possíveis, ok?! Faça sua análise, avalie o que considera mais pertinente...
    1) Como você enxerga toda essa situação, como vc vê a relação do Gabriel com o aprendizado, com as atividades?
    2) Você já tentou avaliar sozinha, em casa, a relação dele com o aprendizado? Já observou o tempo de concentração que ele tem?
    3) Por um lado a escola precisa dar os limites para ele. Preciso mostrar que a 1 série terá um número maior de tarefas.
    4) O Gabriel precisa realmente estar disposto a enfrentar tudo isso. A escola pode muito bem antecipar um tanto de como será no próximo ano escolar.
    5) Caberá ao Gabriel enfrentar tudo isso, perceber que haverá uma maior responsabilidade.
    6) Por outro lado, tem a questão da maturidade dele. Talvez a escola esteja querendo antecipar algo que possa acontecer no futuro. Esteja preocupada, achando que é melhor brincar, se divertir mais um pouco ao enfrentar uma rotina mais puxada. Nesse caso, sem sombra de dúvida, pode interferir no desempenho dele nos próximos anos escolares.
    7) Agora se ele é bom aluno, quando faz, faz bem feito, será que ele não brinca porque a escola está dando poucos desafios para ele. Será que a tarefa não é fácil demais, pouco motivadora e ele resolve parar, olhar para o lado, brincar um tanto. Vai saber!
    Nossa Ju... muitos pensamentos. Não falei! Mas são algumas coisas que vocês devem pensar....
    Espero ter contribuído um pouco mais. Não ter confundido ainda mais a cabeça de vocês.
    Boa sorte! E olha... quero saber o restante da história.
    Agora, acompanharei de pertinho.
    Beijos, beijos

    ResponderExcluir
  8. Que delícia!! Virou um fórum de ajuda este post, valeu meninas!!
    Celi, vou me focar nos pontos 6 e 7, que são os maiores questionamentos aqui.
    O ponto 6 sou eu. Eu acredito que seria melhor pra ele continuar para poder realmente amadurecer e brincar como ele gosta. E olha que não faltam brinquedos e brincadeiras em casa, mas é questão de maturidade mesmo. Eu inclusive fui com este discurso prontinho na reunião.
    Ponto 7:
    Quando ela disse que quando ele faz uma atividade, ele é o melhor da turma, me colocou em dúvida novamente. E então, eu perguntei a ela sobre a motivação, sobre o desafio e foi ai que percebi que como ele "dá mais trabalho", segundo ela. "é uma criança mais viva", ela o deixa brincando no cantinho dos brinquedos, já que ele quer tanto... Qual criança não gostaria?!
    Devido aos meus questionamentos, os quais ela não conseguiu responder no momento da reunião, ela se prontificou a conversar com a psicóloga dele e então, após esta conversa, devemos nos reunir mais uma vez para decidirmos o melhor pra ele.
    Como disse meu pai, minha preocupação está parecendo que ele vai fazer vestibular, eu sei. Mas eles já tiveram um início de vida conturbado e quero muito fazer ou tentar promover o melhor pra eles. V
    Veremos!!
    Beijo grande "nazamiga" que ajudam muito! Obrigada meninas, por esta atenção toda com a gente!! bj

    ResponderExcluir
  9. Aqui em casa é igual...uma coisinha desencadeia uma enxurrada de chateaçoes

    ResponderExcluir
  10. Ju
    Sogra dando palpite é grave!!!! Claro que a escola dará a palavra final mas, analisando tudo o que você relata e que eu conheço do Gabriel , somado com a experiência de mãe de 4 filhos e pediatra há 37 anos, penso que ele tem que ir para a 1ª série. Acredito que ele vai dar conta do recado muito bem e ficará muito mais feliz e motivado!
    Como vê, sua sogra continua a mesma, palpiteira e metida!
    Bjos
    Iza

    ResponderExcluir
  11. Olha, eu só estou com uma dúvida. Como funciona o "corte" etário aí na Suíça. É que no Brasil tem um limite de idade pré-definido, que costuma variar de tempos em tempos. Hoje, pra criança entrar no primeiro ano (antigo C.A.) tem que completar 6 anos até final de abril. Durante algum tempos, as crianças nascidas entre abril e julho (e em alguns casos até agosto) eram avaliadas e a escola é que decidia se ela seria ou não adiantada. Hoje é lei, não pode mesmo adiantar quem faz a partir de 1 de maio. Qual a data de nascimento do Gabriel e como é definido o corte aí?

    ResponderExcluir
  12. Aiiiiin Ju!!!!!!! Acho que no fundo somos todas iguais, em qualquer lugar do mundo! rs... Costumo dizer que eu faço dieta 3 semanas no mês, para compensar a comilança de 1 semana de TPM, qdo a ansiedade ataca e os sentimentos são elevados a milésima potência!

    Bjos queridona! =)

    ResponderExcluir
  13. Oi Lali, desculpa a demora em responder, mas estava com visitas e o tempo foi corrido.
    A questão nem é a idade de corte, mas aqui na Suíça eles prezam bastante a questão do aluno, antes de ser promovido à primeira série, que ele faça dois anos de infantil, e Gabriel fez apenas um. Caso a criança esteja preparada, tudo bem, o que não é o caso dele. Não é nada sério, mas a maturidade talvez seja uma grande questão.
    Aguardemos...
    Beijão, Ju

    ResponderExcluir
  14. Olha, vou relatar como foi com o meu filho:
    Qdo ele tinha 4 anos e era o mais novo da turma, a escola me chamou p/ conversar, pq ele andava muito desatento e com dificuldades para se concentrar nos deveres (ainda muito lúdicos, mas já necessários p/ a futura alfabetização, segundo a escola). Conversava muito, atrapalhava a aula e tal... eles não fizeram nenhum diagnóstico, nem disseram que ele tinha algum problema, mas me aconselharam a ficar atenta pq no futuro isso poderia atrapalhá-lo. O ano seguinte (equivalente ao segundo infantil) é quando começa o processo de alfabetização - que só termina no final primeiro ano. Pois bem, como que num passe de mágica, o menino se encantou com o mundo das letras e aprendeu a ler num pulo. Claro que a professora era excelente, MUUUUUITO melhor que a do ano anterior, muito jovem e inesperiente, incapaz de prender a atenção do pequeno. Mas percebi uma diferença de maturidade muito grande de um ano p/ o outro.
    No caso do Gabriel, pelos seus relatos, eu acho que ele deveria ir, sim, p/ primeiro ano. Ele é inteligente e a maturidade vai chegar na hora certa.

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo(a)! Sente aqui na varanda que eu vou passar o café!