Pular para o conteúdo principal

E quem disse que seria fácil - Parte 2

Primeiramente queria agradecer muito, mas muito mesmo, toda a ajuda que tive no primeiro post da série.  Várias blogueiras, seguidores e amigas "perderam" um pouquinho de seu precioso tempo pra ler meu desabafo e me dar vários conselhos legais, ombros amigos que fizeram muita diferença e que fazem tanta falta em momentos difíceis. Muito obrigada de coração!!

E se vocês se lembram do relato do post, eu fui até a cama de "Tom" às 04h30 da matina, pra conversar com ele, enquanto ele dormia.

Após este episódio, mantive esta mesma atitude e o faço até hoje. Sempre antes de dormir, quando vou  ao quarto deles, converso sobre o que me deixou feliz, sobre o que não foi legal... Claro que não o faço todos os dias, mas sempre quando acho necessário, tanto para um, quanto para outro.
O que pode parecer um tanto insano, trouxe bons resultados. Percebemos que agora demonstram uma maior cumplicidade comigo e com o pai, o que é ótimo!!

Outros fatores também influenciaram na melhora no relacionamento, principalmente no do mais velho conosco. Um deles foi o fato de termos optado por ele refazer o "Segundo Infantil" ou "Jardim 2" e o mais novo ter iniciado o "Primeiro Infantil". Penso que a presença do irmão na mesma escola trouxe mais segurança a ele e o fato de não o termos pressionado, também ajudou bastante. Além disso, ambos iniciaram aulas de Aikidô (que merece um post futuro) e também continuaram nas aulas de música e "Tom", permanece com um encontro semanal com a psicóloga. Acredito que a junção de todas estas coisas tudojuntoaomesmotempo favoreceram para o que tenho a lhes mostrar hoje.
Ontem, ele nos trouxe suas atividades escolares e com elas, este bilhete:


Tradução:

Parabéns por este início de ano. (Lembrando que o ano letivo inicia em agosto)
Seu trabalho está bem feito, você compreende bem as instruções e as aplica.
Você tem feito um grande esforço para ser um aluno "sabido"!
Continue assim! :-)

Sim, estou super orgulhosa dele, pois, durante um bom tempo (ele está com esta mesma professora há pouco mais de um ano), ela reclamou dia sim, dia não, do comportamento dele na escola, tentando inclusive me sugerir que ele poderia ser "uma criança hiperativa". Nada contra gente, mas quem faz este diagnóstico não é a professora e sim uma equipe composta por vários profissionais competentes e preparados para o fazê-lo e eu logo me posicionei em relação a isto.

Eu sei, parece piegas, afinal, é apenas um bilhete...só que não. 

A Europa e os suíços principalmente, são pessoas mais reservadas, com poucos elogios e sinceridade "na lata". "Tirar" um bilhete como este de uma professora de uma escola comunal (pública), é sim um mérito.
E o mérito é dele, pois só experimentando o tal educação suíça para se ter uma ideia do quanto são exigentes e metódicos. Eu, que trabalhei uma vida toda como professora e coordenadora pedagógica no Brasil e na Noruega, diria que aqui, eles são bem rígidos, no extremo mesmo.

Atualmente, ele está mais centrado (sem deixar de ser agitado), mais carinhoso, mais alto, mais seguro.
O mais novo? Ahhh, além de muito beijo, merece um post só pra ele também, né? Já volto!!

Bisous, 

Pandora que Explica: Apesar da melhora, o título do post "E quem disse que seria fácil" é o mesmo (incluindo o adendo: Parte II), pois, filhos são filhos, dão trabalho (gostoso, cansativo, gratificante, blá, blá, blá) e educar, na minha opinião, "é fácil não"... Quem concorda levanta a mão!!

Comentários

  1. Juju, parabéns! Parabéns ao Gabriel, ao Lucas e a vc e papai. Toda a família merece ser felicitada.
    =)

    Não é fácil mesmo e entendo o quão difícil pode ser ganhar um elogio de pessoas muito rígidas, parabéns em dobro a toda família.

    Que vcs sejam sempre abençoados e façam por merecer a família linda que têm.

    Eu vi a foto no FB, mas como entendo zero de francês/suiço qlq coisa assim... não comentei.

    Agora entendi e fiquei mto feliz por vcs, especialmente por ele.

    Beijos grandes!!!

    ResponderExcluir
  2. Nosso coração de mãe ama demais, se preocupa demais, quem não quer ver seus filhos crescendo e se desenvolvendo com segurança...que bom que as coisas estão mais tranquilas, filhos são assim uma montanha russa de emoções...
    www.arthurnossorei.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ju, minha amiga, super entendo você! Tem mesmo que comemorar, postar e falar sobre isso! Parabéns para vocês todos! Uma grande conquista para família e principalmente para o Gabriel. Imagino como ele ficou orgulho de toda a situação.
    Sei bem o que quis dizer, pois acompanhei duas semanas de aulas na Suíça, no qual os filhos da minha amiga traziam notícias, minha amiga também. As professoras são rígidas e cobram muito! Então, mas do que merecido um brinde para esse bilhete.
    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  4. Juliana, realmente não é fácil! Mas o amor tbm não é pequeno né?
    Acredito que essa conversa noturna tenha surtido efeito mesmo. Junto com as outras coisas que vc relatou.
    Parabéns por essa conquista! Esse bilhete é muito representativo mesmo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Euuu!! tarefa difícil mas emocionante!! Parabéns ao Gabriel

    ResponderExcluir
  6. Olha a minha mão aqui levantada!
    Parabéns para o Gabriel, nada como o tempo, esforço e muito carinho e paciência pra ver os resultados...
    Não é fácil não, mas não tem nada melhor que sentir um orgulho imenso do filho, não?

    ResponderExcluir
  7. Parabens ao Gabriel e a mamae. Alivio merecido! Bj.
    Monica

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seja bem-vindo(a)! Sente aqui na varanda que eu vou passar o café!

Postagens mais visitadas deste blog

Filho é filho! Já dizia a sábia raposa...

Não foi à toa que voltei a escrever e antes de voltar no tempo e tentar resgatar as memórias destes quase quatro anos de pausa, vou compartilhando as novidades “fresquinhas”.  Dias atrás, “Tom”, 10a, chegou em casa com um livro da escola. Aliás, coisa que adoro por estas bandas dos alpes gelados é que a leitura diária é levada muito a sério. E eles tem que ler em voz alta para alguém, que neste caso, sou euzinha. Cada um na sua vez, diariamente e eu virei uma “ouvidora” de histórias. Então, “taveu” fazendo catando algum chinelo, lápis, coco da cachorra algo que não me lembro bem agora e lá vem Tom, pra fazer a leitura deste livro:    O livro era daqueles antigões, com a capa dura e um cheirinho peculiar de naftalina (Oi?). Mas era da biblioteca da escola e estava bem conservado e encapadinho. Ainda perguntei a ele: “ Quem escolheu este livro filho? ” e ele… “ eu mãe, achei a capa bonitinha” .  O livro não tinha propriamente uma capa com apelo interessante para a le

Série co-autores, conte sua história no blog! Hoje, a conquista do parto natural e quem nos conta é a Karime.

Hoje a série co-autores do Contos , renasce, literalmente.  Além de trazer um lindo relato de parto, dia 20 de janeiro de 2013 , é o dia em que a personagem principal desta história real, a Lara, completa 1 aninho.   P a r a b é n s L a r a !!  Voilà, o conto: Bom dia Mamães! Hoje, dia 20, minha filhota completa 1 ano :) E para comemorar e começar o dia com toda boa energia e em alto astral compartilho com vocês como foi o parto dela... FOI ASSIM:  Pessoas queridas do meu coração, estou aqui, menos de dois anos depois do relato do nascimento do Luca para escrever sobre o parto da Lara! Uma experiência tão marcante e intensa que é preciso respirar fundo várias vezes para tentar traduzir tamanha emoção em palavras... Como sabem, sonhava vivenciar o parto natural e por se tratar de uma tentativa depois de uma recente cesariana tudo já era naturalmente diferente... opiniões daqui, estatísticas dali, pesquisas de lá, ‘achismos’ acolá ... e o meu desejo acima de tudo! Sorte, mu

Aniversário Solidário

"Você é a mudança que deseja ver no mundo"  Mahatma Gandhi  EMPATIA Segundo a definição que encontramos aqui ,   Empatia   significa a   capacidade psicológica  para sentir o que sentiria uma outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. Consiste em   tentar compreender sentimentos e emoções , procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo.  A empatia leva as pessoas a ajudarem umas às outras. Está intimamente ligada ao altruísmo - amor e interesse pelo próximo - e à capacidade de ajudar. Quando um indivíduo consegue sentir a dor ou o sofrimento do outro ao se colocar no seu lugar, desperta a vontade de ajudar e de agir seguindo princípios morais. Assim surgiu a ideia de este ano, pela segunda vez nestes meus ... vinte e poucos quarenta e dois  anos, reunir várias amigas (mais de quarenta) que também moram aqui na Suíça para uma confraternização do meu aniversário (3 /3 anota ai), no Dia Internacional da Mulhe