terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Mudança gera mudança...



A placa de aluga-se acabou de ser colocada no apartamento. Mas o texto não é apenas sobre mudanças físicas e de espaço, afinal, toda mudança, gera mudança. 
Confesso que foi uma mistura de sentimentos. Por um lado fico feliz em mudar, pois o lado prático da vida está difícil, afinal, o espaço foi ficando pequeno a medida em que as crianças foram crescendo. Mas por outro lado, este lugar, foi mais que um simples apartamento alugado na Suíça, ele foi o início de uma estabilização familiar, ou a tentativa "de".

Explico:
Para quem acompanha o blog, sabe que tivemos, no início da adoção, uma adaptação com as crianças no Brasil e outra na Noruega. Ambas em um período total de sete meses, então, apesar de todo nosso esforço em estreitar vínculos com nossos filhos (na época "Tom" tinha quatro anos e "Jobim", dois anos e meio), tínhamos a preocupação em apresentar-lhes um lugar pra “chamar de nosso”.

_”Esta é a NOSSA casa, este é o quarto de vocês…”

Então, assim que nos mudamos para a Suíça, a pressa determinou o destino. 
Vimos alguns apartamentos antes deste que dentre tantas opções, ora era pequeno, ora era muito caro, ora era afastado de tudo e ao chegar neste aqui, sentimos que era o suficiente para começar uma história.
Nos mudamos, colocamos uma plaquinha decorativa com o nome deles na porta do quarto e conseguimos muitas proezas nos últimos dois anos. Foram muitas visitas que ficaram apertadinhas, muita farra com amiguinhos que vieram almoçar  e brincar conosco após a escola e "Tom" teve seu aniversário de seis anos  feito aqui, foi só arrastar móveis e criar um layout possível para tamanha felicidade. 

E os vizinhos?

Aqui na Suíça, conhecemos muitas histórias de vizinhos que chamam a polícia por tudo (inclusive por barulho de aspirador de pó aos domingos e descargas após às 22h) e nós, durante dois anos, morando no primeiro andar (não é térrreo), nunca tivemos nenhuma reclamação. Nadinha mesmo.

Usamos o espaço comum do prédio com nosso pula-pula, montamos uma trave para jogar futebol, fizemos boneco de neve… foram tempos muito bons e dividindo espaços com suíços. Tivemos sim, um acidente de percurso (pago por nosso seguro), uma vez que o caçula jogou uma pedrinha em um foço, ela quicou e caiu em cima do capô do Porsche do vizinho… $$$$$$ mas, C’est la vie!

Mas chega um momento em que temos que tomar uma decisão e muitas vezes, esta exige o desapego, o despreendimento de algo que é bom ou muito bom. A mudança vai além do aspecto físico, ela gera outras mudanças internas. 

Onde moramos atualmente, a vista é linda, um presente aos olhos, mas é privada de transporte público de fácil acesso, a escola é longe e não consigo ir caminhando com as crianças, pois são 25 minutos de caminhada para perninhas tão pequenas e diga-se de passagem que os horários aqui são diferentes do resto do mundo, só pra lembrar:

Das 8h35 às 11h10;
Os filhos almoçam em casa;
Retornam às 14h15 até 15h45.

Conversa ao pé do ouvido: Na minha opinião, isto é muito bom para as crianças, sem dúvida. Tirando o fato de que o horário de almoço é demasiadamente longo, temos a oportunidade de ver e curtir de perto a infância. Mas a minha crítica é quanto à organização dos horários escolares, que nada mais é que o fruto de uma mentalidade ainda machista, de um país que deu o direito ao voto para as mulheres apenas em 1957.  O horário engessa e dificulta a tentativa de inserção das mulheres/mães no mercado trabalho, mesmo em porcentagens de carga horária menores, o que é um absurdo. 

Mas, voltando ao tópico "mudança", pedimos à comuna local que nossos filhos permaneçam na mesma escola onde estão matriculados até o fim do ano letivo (junho/2013), o que gera mais uma vez, outros desafios, principalmente para a mãe (moi!!). Estaremos mais longe desta escola, porém, por seis meses apenas. Apesar dos pensamentos feministas que insistem em me questionar o tempo todo, sou Mãe, com M maiúsculo. Minha prioridade agora, são meus filhos  e não quero dar margem ao mi mi mi, pois esta, definitivamente, não sou eu. 

Já estou me programando para os próximos seis meses de modo que tudo caminhe dentro daquilo que considero bom pra todos, inclusive pra mim.  “Óhia”!!

O plano, para este período, é o seguinte:

  1. 1.    A limpeza da casa ou a "casa perfeita" (vulgo, casa de revista), vai ficar pra história. Roupa limpa, comida BIO e BOA, felicidade geral da nação e uma mãe sem neurose e linda. Estas sim,  são as prioridades!!
  2. 2.     Para não ficar no vai e volta interminável:  casa/escola, escola/casa, casa/escola, escola/casa (8 ways), me munirei de muita roupa anti-chuva, anti-neve, anti-preguiça e tentarei caminhar e correr pelo menos dois dias da semana, no período da manhã, lá pelos arredores da escola mesmo. Assim, não preciso ficar no bate-volta. O serviço de casa que espere!!
  3. 3.     Eu mesma faço minhas unhas (MUACK!! beijo no ombro, eu me amo!!) e continuarei sempre assim, até encontrar uma manicure que cobre muito menos que R$110,00 e nem tira a cutícula. Alguém??
  4. 4.     Derrota passa longe daqui gente. Odeio verdadeiramente este sentimento. Repudio. Posso estar triste, morrendo de saudade da família, frustrada, cansada… mas tô de batom. E sabe quando isso começou a ganhar força??? Com os filhos meninOs. Se eles me vêem sem batom, sem esmalte (COLORIDO) nas unhas, vão logo me cobrando. Filhos gostam de ver pais felizes gente, já perceberam?
  5. 5.      O valor da mudança na Suíça é caro, como tudo por aqui. Em uma curta distância, eles nos pediram a equivalência de R$ 3.400,00, mais as taxas. É o preço e todos sabem que a Suíça é um dos países mais caros da Europa. Então, para não ficar muito mais caro que isso, me responsabilizei em embalar as miudezas. E como juntamos bugigangas, socorro!! Uma boa hora para a faxina interna também. Jogar fora tudo aquilo que não nos faz bem, sentimentos penosos que nada acrescentam e mágoas que nos adoecem. Tudo vai para o lixo. Oremos!! 
  6. 6.     “All we need is less”, este é meu lema para 2013.  Estou doando, vendendo e simplesmente me desapegando de muitas coisas. Menos é Mais!!! 

Enfim, mudanças não acontecem apenas fora da gente.

Se permitimos que nosso olhar vá mais longe, acabamos por aprender muito com os outros. Aprendemos até o que não fazer, não é mesmo?

Penso que re-significar algo que vivemos também é muito válido para a ocasião. Seguir adiante na certeza de que felicidade não se tem o tempo todo e ela não vem amanhã, se Deus quiser. Felicidade se constrói com as pequenas atitudes que tomamos no dia-a-dia. E eu tento, nossa, se eu tento. 

Por exemplo, não sou ativista, mas neste blog luto sim para ser respeitada e ter o respeito que meus filhos merecem, pois ainda existe muito preconceito sobre adoção. Se eu me deixasse abater pelas besteiras que leio, que escuto... Se soubessem o quanto me revolta ler uma notícia com títulos iniciados desta forma: “Filho adotivo pega o carro dos pais…” Dias atrás, uma pessoa que não sabia que eu era mãe adotiva, disse:

_..."Ah, sim. Eu conheço uma pessoa que... mas seu filho é adotivo (bem pejorativo), então, já sabe, né?... 

E como este, existem tantos outros comentários cruéis, que só sabe, quem vive. 

MAS!!!!! Veja bem, comentários como estes, que me revoltam, não me desqualificam, não me derrubam. Pelo contrário, são um grande alfinete que me cutuca a continuar. Firme e Forte, pra Frente.


Mas eu sei. Assim como a história do mundo muda constantemente e exigem que mudemos também, as mudanças vão aos poucos acontecendo dentro da gente. Mudar gera desconforto, mas é necessário. Não é fácil enxergamos a realidade e a vida longe de nosso umbigo e daquilo que julgamos entender.

E a gente tenta, né? Que assim seja.

"Bora", trabalhar gente. Tem um monte de caixa me olhando aqui com cara de "E aí? Vai demorar com o devaneio?" 

Bisous, fui!!


7 comentários:

  1. Aeeee gostei de ver, quebra TUUUUUDO, Ju!
    Felicidades e sucesso na casa nova, vai ser tudo de bom.

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Ju,

    DESAPEGA E DEPOIS MULTIPLICAAAAA SENHOR!!!! rsrsrsrsrs
    Gostei especialmente da frase: ... "acabamos por aprender muito com os outros. Aprendemos ate o que nao fazer"... me tocou!

    Bjs.

    Monica

    ResponderExcluir
  3. Isso mesmo Ju! Estou gostando de ver tantos pensamentos bons. Já ouviu falar que pensamentos positivos só atraem coisas boas? Pois é isso que penso... Essa mudança fechou um ciclo para dar início a uma nova fase para toda sua família, a um tempo novo de desafios, perspectivas, desejos e maravilhas da vida.
    Aproveite! Arrume tudo e faça isso, pois acredito que você só terá benefícios...
    Um grande beijo, ótima mudança e até breve no skype. Certo?

    ResponderExcluir
  4. Ahhhh esqueci de dizer que estou adorando o novo visual a começar pelo layout...rs rs rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Boa Jú!!!

    Mudança é sempre bom, é renovação! Aproveita e faz aquela limpeza!

    Se precisar de uma força amiga, é só falar, estamos aí!

    Beijos, Gabi Torezan

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju,
    ainda nao sou mae, mas sou expatriada profissional. Morei na Suica e faz vários anos moro na Alemanha. Ju, mudanca aqui se faz no muque! Aluga-se um caminhaozinho, se chama os amigos (depois tem que dar festinha de agradecimento) e bora demontar carregar e montar.
    Fiquei passada com o horário da escola! Trabalho e esse ano estou pretendendo engravidar me preucupo horrores de quando vai ser quando a(s) crianca(s) entrarem na escola, aqui nao é tao picado, mas desconfio que nao vai ter horário flexível de pai e mae e dê conta.
    Boa sorte com a mudanca e felicidades na nova morada.
    Bjs,
    Elisa

    ResponderExcluir
  7. SÉRIO??? Cê come TUDO BIÔ-BIÔ À-LÁ COOP und MIGROS? Sou promotora BIÔ-BIÔ rs rs rs dos produtos MIGROS, viajo pela suíça nos fin de sem. em q há eventos onde o Migros é o patrocinador mais importante representando tais produtos (bico). Em minha casa sendo suíço compro, lavo bem, e majamos numa boa. Já notou o sabor da carne se o animal viveu livre? O coop tem sem ser BIO é super saborosa. Meu esposo prefere podre suíço que fresco importado. Já pensou em alugar uma casinha de madeira naquelas vilas tipo favelinha e montar uma horta com os meninos? Garanto q as abóboras tamanho bacia fazem vc sorrir de orgulho em lembrar que um dia foram suas flores. No verão o povo todo lá grelhando, mô fumaçê, recebem amigos, parecem fazendeiros, um clima pra lá de bom, tenho minha horta onde moro, mas vez ou outra temos festa nas favelinhas, digo, fazendinhas de dez metros quadrados. Os tomates são bem docinhos, as alfaces, as cenouras tem um odor tão bom dá vontade de comer as folhas, as beterrabas, rabanetes vem em ambundância. Quem mais se divertem são as crianças mesmo! Dia 2 de fev. é dia de plantar as sementinhas dos tomates, faz um no vaso já que gostas de BIO. E ñ tem almoço na escola no seu Kanton ñ? Haleluiiiia o meu tem! Casa nova é tudo de muito bom! Felicidades! P.S: Quando me mudei poi tudo no muqui mesmo durante uma semana de vai e vem, apenas paguei a firma de limpeza do end. antigo! Felicidades de novo!

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo(a)! Sente aqui na varanda que eu vou passar o café!