Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2017

De verdade!

Voltar a escrever no blog é um exercício fantástico de reflexão sobre as expectativas que uma mãe doida carrega. Essa doida sou eu. Hj mesmo fui ao aniversário de uma amiga pela manhã e como estou super acostumada com a correria mãetorista frenética do dia-a-dia, estava me despedindo das pessoas bem antes (1h) do horário de pegar Jobim (9a) na escola (lembrando que aqui na Suíça, as escolas locais funcionam em dois períodos, manhã e tarde e o almoço é em casa). E é assim mesmo neh, a correria tá no mundo todo, por todos os lados... e a gente que acha que os filhos vão se tornando mais independentes e a vida sossega um pouco... nananinanão . Só piora, pois agora eles fazem seus próprios compromissos e cabe à mãe coordenar as agendas "tudo", que no meu caso são quatro: A minha, de Tom (10a),  Jobim (9a) e da nossa cachorrinha Chloé (2a)🐾. Mas isso não é reclamação não, tá? Tô curtindo muito cada ritmo, cada pedacinho deste enredo de vida que ganhei de presente. Mas senta

Das surpresas que a vida nos traz...

Oi!! Voltei, voltei!!! Espero eu que desta vez seja pra valer, mas como por aqui não faltam acontecimentos, senta que lá vem história...  Vou contar em algumas postagens o que aconteceu na minha vida desde o último post, em setembro de 2016.  Bom... Tudo começou em fevereiro de 2016, há um ano. Um belo dia acordei com o ouvido entupido. Mas como aqui na Europa as estações do ano são bem marcadas e muitas pessoas sofrem com a quantidade de pólem que circula nos ventos e nas patinhas dos insetos  por conta da primavera que vem chegando, eu achei que era uma simples alergia. Mesmo assim, procurei um médico.  Na consulta, ele fez audiometria (estava tudo normal), fez o exame clínico, a entrevista... e claro, não fechou nenhum diagnóstico precipitado, mas citou algumas possíveis causas, dentre elas, possibilidade de ser algum tipo de vírus ou Maladie de Menière ou Síndrome de Meniėre como é conhecida no Brasil.  Voltei pra casa ainda com o ouvido tampado e segui vida