quinta-feira, 23 de março de 2017

Artes: Aprendendo com Tom

Tom é meu filho mais velho, ele vai fazer onze anos em maio deste ano. Desde que nos conhecemos (quando ele tinha quatro anos) a gente percebe que ele ama desenhar e o faz muito bem, e não é papo de mãe coruja não heim?

E eu, mãe papelaria, adoro estas coisas e incentivo todo o tipo de arte em casa, principalmente se fizermos juntos. Um bom exemplo são as adoráveis canetas para vidros. A gente aproveita a arquitetura daqui com janelas e portas de vidros grandes para que eles possam explorar o desenho sem medo e o melhor, depois é só passar um pano umedecido com limpa vidros. Legal, né?

Outra atividade que fazemos juntos é a pintura coletiva, com direito a biquinho minha gente, tamanha é a concentração. O melhor destas atividades é que enquanto a gente pinta, o diálogo flui e a gente pode conversar de assuntos diversos, inclusive aqueles que ficam embaixo do tapete e surgem do nada a cada pincelada.
Pintura coletiva em um painel gigante. 


O interesse de Tom pelas Artes foi aprimorado na escola pública aqui na Suíça e de lá pra cá a gente tem aprendido muito com ele. E o danadinho guarda tudo, datas, acontecimentos, uma enciclopédia este garoto. Na escola onde eles estudam a gente percebe que o estudo da História das Artes e os artistas são bem valorizados pelos professores e a motivação deles é nítida quando os convidamos para uma exposição,  por exemplo.

Em fevereiro de 2015, quando fomos para Nova Yorque, infelizmente chegamos uma semana após o fim 😔de uma grande exposição do Henri Matisse no MOMA. Mas o interessante foi que estávamos em uma estação de trem de lá e duas senhoras americanas sentadas ao nosso lado começaram a conversar conosco graças às crianças. E elas além de nos alertar sobre o fim da exposição, também nos sugeriram ir a uma livraria no Rockefeller Center, a Posman Books, para adquirirmos este livros elaborados especialmente para o público infantil:




Conseguimos ver de pertinho esta obra de Monet, em Martigny. 

Reprodução feita por Jobim, aos 7 anos, com canetas feltro. 


Reprodução feita por Tom, aos 8 anos. Ele recortou e montou , como Matisse. 

Os livros possuem uma linguagem bem lúdica e acessível aos pequenos leitores e como vcs podem ver, Tom (10a) e Jobim (9a),  já fizeram re-leituras de algumas obras.

Vale a pena!!

E há uns vinte dias, estivemos na exposição Hodler, Monet, Munch na Fondation  Pierre Gianadda, em Martigny, aqui na Suíça. Foi nossa segunda visita nesta fundação, que também possui um museu de carros antigos. Lá as crianças recebem uma espécie de Quiz sobre a exposição atual, a fim de que possam realizar a visita de uma maneira lúdica:

Acharam uma muretinha para responderem ao quiz. 





Tom e Jobim com o roteiro para crianças. 



 É isso aí, Suíça oferece muito mais que escândalos envolvendo dinheiro público do Brasil  fondues e chocolates. Aqui tem muita coisa interessante para se explorar e curtir com as crianças e os adultos.

Bisous, da Mãe

0 comentários:

Postar um comentário

Seja bem-vindo(a)! Sente aqui na varanda que eu vou passar o café!